21 de fevereiro de 2024

Mais uma vez, casa de Chico Mendes é tomada pelas águas da enchente de Xapuri

Menos de oito anos após sofrer a primeira enchente e a grande destruição de seus pertences, como roupas, livros e anotações os quais eram guardados como relíquias da memória do líder sindical Chico Mendes, assassinado ali em 1988, a casa em que ele viveu e morreu, está mais uma vez debaixo d’agua.

A casa já vinha fechada para visitação pública desde 2018, mas com a nova inundação, o que resta do lugar e da memória física de Chico Mendes, como roupas, livros e apontamentos, podem desaparecer.

Em Xapuri, que é banhada por dois rios, o Acre e o que leva o mesmo o nome da cidade, que se encontram e se fundem, o nível das águas já é maisde15metros acima do nível normal. Pelo menos quatro bairros, o Sibéria, Bolívia, o Polo e o Centro, onde fica a Casa Chico Mendes, estão tomados pelas águas.

Mais de 500 pessoas já estão desabrigadas. A população da cidade é de pouco mais de 19 mil pessoas, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O Hospital “Epaminondas Jácome”, que fica no centro da cidade e às margens do rio, teve que ser fechado e os pacientes transferidos para uma área improvisada.

PUBLICIDADE