18 de junho de 2024

MPAC recorre e consegue prisão de policial que matou jovem após show na Expoacre

Decisão foi assinada pelo promotor de Justiça substituto Lucas Bruno Iwakami

Nesta segunda-feira (23), o policial penal e ex-diretor do presídio de Senador Guiomard, Raimundo Nonato Veloso da Silva, teve a prisão preventiva acatada em segunda instância após pedido do Ministério Público do Acre.

Raimundo Nonato já foi diretor do presídio de Senador Guiomard/Reprodução

O agente matou o jovem Wesley Santos da Silva, de 20 anos, após um show na Expoacre deste ano, em agosto. Além de ter atirado no jovem, o policial também efetuou disparos que atingiram a namorada da vítima.

Um dia depois do crime, durante a audiência de custódia, o Ministério Público havia solicitado que a prisão em flagrante fosse convertida em prisão preventiva. Contudo, na época, a Justiça decidiu pela concessão de liberdade provisória ao acusado.

Porém, o MPAC recorreu e obteve em segunda instância, a decisão favorável para que o policial penal responda ao processo em prisão preventiva. O recurso foi assinado pelo promotor de Justiça substituto Lucas Bruno Iwakami.

VEJA MAIS: Policial acusado de matar jovem tem porte de armas suspenso e está proibido de entrar em bares

O promotor destacou que “a apresentação do recurso só foi possível devido a uma atuação conjunta, que contou com a colaboração de outros membros do MPAC, bem como apoio do Observatório de Violência de Gênero, órgão auxiliar da instituição, ressalto ainda a atuação da procuradora de Justiça, Patrícia Rêgo, que deu parecer favorável ao recurso na segunda instância”.

Relembre o caso

Segundo informações da polícia, o policial penal e ex-diretor do presídio de Senador Guiomard, Raimundo Nonato Veloso da Silva Neto, 38 anos, supostamente assediou várias mulheres no interior de um barzinho dentro do Parque de Exposições, durante a última noite de Expoacre 2023. Ao tentar passar a mão em Rita de Cássia, de 18 anos, a mulher acabou revidando e não permitiu ser tocada pelo policial penal, empurrando o agente de segurança pública.

Em seguida, Wesley, que era namorado de Rita, e outros homens também empurraram o acusado. Ao sair do local, o policial ameaçou o casal e disse que os esperaria do lado de fora do barzinho.

Quando o casal estava saindo, Raimundo Nonato sacou uma arma de fogo e atirou várias vezes contra o homem e a mulher. Rita foi ferida com um tiro na perna e Wesley foi ferido com um tiro no abdômen.

Wesley tinha 20 anos/Foto: Reprodução

Após ouvirem os tiros, policiais militares que estavam no Parque de Exposições foram até o local e, ao verem a correria, encontraram as duas vítimas feridas. O policial penal teve a arma apreendida e foi preso em flagrante, sendo encaminhado à Delegacia de Flagrantes (Defla) e deve responder agora por um homícidio e uma tentativa de homícidio.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e enviou duas ambulâncias, uma avançada e uma básica, para prestar os primeiros atendimentos às vítimas. Wesley foi socorrido em estado grave com um tiro no abdômen, enquanto Rita estava em estado estável com um tiro na perna. Ambos foram encaminhados ao pronto-socorro de Rio Branco.

No PS, Wesley foi levado direto para o Centro Cirúrgico e, após ser submetido a uma intervenção cirúrgica, ficou internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), por cerca de 2 dias, mas não resistiu e morreu.

Agentes de Polícia Civil da Equipe de Pronto Emprego (EPE) colheram as primeiras informações, e o caso continua sendo investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost