Por unanimidade, vereadores negam pedido de empréstimo de R$ 340 milhões feito por Bocalom

O próprio líder da Prefeitura na Câmara, vereador João Marcos Luz, votou contrário aos projetos

O imbróglio causado pelo pedido de empréstimo de R$ 340 milhões feita pelo prefeito Tião Bocalom finalmente chegou ao fim na tarde desta quinta-feira (26), em uma sessão extraordinária da Câmara Municipal de Rio Branco.

Foto: Arquivo Câmara dos Vereadores

Por unanimidade, os vereadores negaram o pedido e votaram contra o Projeto de Lei enviado pela equipe da Prefeitura. Foram dois projetos encaminhados: o primeiro, pedia o empréstimo no valor de R$ 40 milhões. O segundo, solicitava o valor de R$ 300 milhões.

CONFIRA MAIS: Vereadores aliados de Bocalom que votarem contra empréstimo serão expulsos da base, diz líder

Após ter sido adiada por dias, a votação do projeto rendeu ainda um voto inusitado: o próprio líder do prefeito Tião Bocalom na Câmara, um dos maiores defensores do pedido de empréstimo, votou conta os dois pedidos de empréstimos.

João Marcos Luz. Foto: Matheus Mello/ContilNet

Entenda os pedidos

Dos R$ 340 milhões que a prefeitura de Rio Branco pretendia adquirir por meio de um empréstimo junto ao Banco do Brasil, e que dependia da aprovação da Câmara Municipal, R$ 120 milhões seriam destinados para solucionar os problemas com água e esgoto na capital. Outros R$ 150 milhões seriam empregados em asfaltamento e R$ 30 milhões para a segurança pública, visando a implantação de mais de quatro mil câmeras de segurança nas escolas, unidades de saúde, praças e ruas da capital acreana.

O valor de R$ 40 milhões seria acrescentado aos R$ 40 milhões de recursos próprios que a prefeitura estará colocando, para construir as casas do Programa 1001 Dignidades, destinadas a famílias em situação de vulnerabilidade social.

Motivos da derrubada

Segundo informações, o parecer negativo da Assessoria Jurídica da Câmara Municipal pesou na decisão dos vereadores de votar contra o pedido de empréstimo. Além disso, os projetos haviam sido barrados também nas comissões conjuntas da Casa.

O percentual de juros estabelecido pelos bancos também foi crucial para a derrubada dos projetos. Os empréstimos foram solicitados juntos ao Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal.

Derrota de Bocalom

Nesta semana, Bocalom esclareceu que o empréstimo seria aplicado em novas obras, na Segurança Pública, em moradias populares e, principalmente, para resolver o problema da falta d’água na capital.

Prefeito Tião Bocalom deu esclarecimentos sobre empréstimo milionário e deu recado para a base na Câmara. Foto: Matheus Mello/ContilNet

VEJA MAIS: Bocalom diz que empréstimo de R$ 340 mi será para gerar obras; PL volta à Câmara nesta quarta

“Estamos mostrando para os vereadores a importância desse projeto para a nossa população. Vamos fazer obras, gerar emprego, fomentar a nossa economia. Há quantos anos nós não temos investimentos públicos na nossa capital?”, questionou Bocalom.

Até o momento, o prefeito ainda não se posicionou publicamente sobre o assunto.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost

Por unanimidade, vereadores negam pedido de empréstimo de R$ 340 milhões feito por Bocalom