21 de fevereiro de 2024

Concurso Nacional Unificado: Guia completo; confira tudo o que se sabe!

Reprodução

Os preparativos para a realização do Concurso Nacional Unificado já começaram, mas muitos concurseiros ainda estão se perguntando como será realizado o certame.

Pensando nisso, o Direção Concursos elaborou um Guia Completo para que os interessados tirem todas as dúvidas sobre este concurso que promete ser a maior seleção pública já realizada no país.

Sobre a atualização mais recente do concurso nacional unificado, o MGI já definiu que a Fundação Cesgranrio será a banca organizadora do certame, vencendo a disputa com o Cebraspe e FGV.

Confira, a seguir, o GUIA COMPLETO com tudo o que você precisa saber sobre o Concurso Nacional Unificado e acelere sua preparação para esta excelente oportunidade!

Navegue pelo índice:

O que é o Concurso Nacional Unificado?

A criação do Concurso Nacional Unificado foi a alternativa encontrada pelo governo federal para melhor viabilizar o provimento de 6.640 vagas para 21 órgãos e Ministérios.

Assim, de acordo com o Ministério de Gestão e Inovação em Serviços Públicos, a intenção é democratizar o acesso aos cargos públicos à população e facilitar o provimento de servidores nos órgãos, que não precisarão organizar seus certames.

Em síntese, o candidato realizará uma única inscrição e uma única prova. Ele deverá escolher, não um cargo específico, mas uma área de atuação, que conterá vários cargos.

Através de sua nota obtida, o candidato será direcionado ao cargo correspondente, assemelhando-se ao atual modelo de classificação do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio).

Os órgãos, por sua vez, poderão escolher se querem aderir ao concurso nacional unificado ou se preferem realizar seus próprios certames.

Confira mais detalhes nos tópicos a seguir!

Quais órgãos aderiram ao Concurso Nacional Unificado?

A adesão ao Concurso Nacional Unificado é voluntária e o Ministério da Gestão e da Inovação (MGI) concedeu o prazo de até 29 de setembro para que os órgãos se manifestem a respeito do interesse em participar do unificado. No entanto, outros órgãos ainda podem engrossar a lista.

Veja abaixo, quais são, até o momento, os órgãos e Ministérios que já confirmaram participação no Concurso Nacional Unificado!

AFT

O provimento de vagas para AFT (Auditor-Fiscal do Trabalho) ocorrerá através do concurso nacional unificado, entretanto, o cargo poderá ter um edital próprio, já que ele pode ser o único a integrar o Bloco Temático 6!

Isso porque, de acordo com fontes ouvidas pelo Direção Concursos, o PREVIC, que atualmente também integra o Bloco 6, irá aderir ao certame unificado, entretanto, a intenção do órgão é pedir realocação para o Bloco Temático 1 (referente a “Administração e Finanças Públicas”).

Com isso, é possível que o concurso AFT seja o único pertencente ao Bloco 6, destinado às oportunidades referentes ao Ministério do Trabalho e Previdência. Serão 900 vagas para Auditor Fiscal do Trabalho. O cargo exige o nível superior de formação e oferece salário inicial de R$ 22.921,71.

Concurso Nacional Unificado – Carreiras transversais

Serão 1.250 vagas de nível superior, assim segmentadas:

  • Analista em Tecnologia da Informação (ATI): 300 vagas;
  • Analista de Infraestrutura (AIE): 300 vagas;
  • Analista técnico de Políticas Sociais (ATPS): 500 vagas; e
  • Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental (EPPGG): 150 vagas.

Vale mencionar, ainda, que as carreiras transversais são assim chamadas pois possibilitam ao servidor atuação em diversos órgãos e Ministérios do Poder Executivo. Por exemplo, as vagas para o cargo de ATPS serão distribuídas entre os Ministérios da Educação, Justiça, Direitos Humanos e Gestão e Inovação.

Ministério da Saúde

Em contato com o Direção Concursos, o Ministério da Saúde confirmou sua participação no certame do governo federal, que tem previsão de publicar edital em dezembro, com provas a serem realizadas em março de 2024.

Para o órgão, serão ofertadas 220 vagas para Tecnologista, da carreira de Desenvolvimento Tecnológico em Ciência e Tecnologia – C&T. O cargo exige nível superior de formação e oferece salário inicial no valor de R$ 6.875,47.

Concurso Nacional Unificado – Previc

Conforme já mencionado, a Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar) também participará do Concurso Nacional Unificado, com 40 vagas de nível superior, distribuídas entre os cargos:

  • Analista Administrativo: 15 vagas; e
  • Especialista em Previdência Complementar: 25 vagas.

Os salários iniciais serão de R$ 14.583,49 e R$ 15.904,49, respectivamente.

Ministério da Justiça

Em contato com o Direção Concursos, o Ministério da Justiça informou que considera positiva a realização do certame unificado e que pretende aderir à seleção.

Entretanto, a Pasta está avaliando os impactos orçamentários e outras questões administrativas para que seja possível chegar a uma conclusão sobre a adesão ao concurso unificado.

O Ministério da Justiça ofertará 100 vagas para Analista Técnico Administrativo. O cargo exige formação em nível superior e oferece salário inicial no valor de R$ 6.255,90.

ANTAQ

Apesar de ainda não haver confirmação oficial, a Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) pretende aderir ao Concurso Nacional Unificado.

Isso porque um despacho assinado pela gerente de Recursos Humanos da Antaq informa sobre o interesse na adesão ao certame unificado e solicita a apreciação da Superintendência de Administração e Finanças do órgão.

Vale mencionar, ainda, que uma minuta de adesão ao Concurso Nacional Unificado já está pronta e também foi encaminhada para apreciação.

São 30 vagas autorizadas para Especialista em Regulação de Serviços de Transportes Aquaviários. O cargo exige formação de nível superior e oferece salário inicial no valor de R$ 16.413,35.

Concurso Nacional Unificado – Funai

A Fundação dos Povos Indígenas (Funai) aderiu ao Concurso Nacional Unificado (CNU)! De acordo com o Ministério da Gestão e Inovação (MGI), o órgão ofertará 502 vagas de níveis médio e superior com salários iniciais entre R$ 5.975,51 e R$ 7.296,37.

A decisão ocorre em meio as tratativas para a contratação da banca organizadora, já que recentemente a Presidente da Comissão do Concurso FUNAI, Camila Abuassi de Faro Passos, solicitou a DPO no valor de R$ 6.159.993,72 para a contratação da banca.

IBGE

O Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos divulgou uma tabela que informa todos os órgãos que irão participar do Concurso Nacional Unificado! Como exposto na tabela, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aderiu ao CNU!

O concurso IBGE irá ofertar 895 vagas de níveis médio e superior de formação, distribuídas entre os seguintes cargos:

  • Nível médio
    • Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas: 300 vagas;
  • Nível superior
    • Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas: 275 vagas;
    • Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas: 312 vagas; e
    • Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas: 8 vagas.

Fiocruz

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) decidiu aderir ao Concurso Nacional Unificado! De acordo com a informação, concedida pelo Ministério da Gestão e Inovação (MGI), o órgão ofertará 300 vagas de nível superior para os cargos de Analista de Gestão em Saúde, Pesquisador em Saúde Pública e Tecnologista em Saúde Pública.

Vale lembrar que a Fiocruz havia informado que não participaria do certame unificado. Na ocasião, o órgão informou que “o concurso Fiocruz possui muitas especificidades e o direcionamento institucional é de viabilizar a organização própria para o concurso 2023”.

ANEEL

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) decidiu aderir ao Concurso Nacional Unificado (CNU)! Em resposta ao Direção Concursos, a agência informou que ofertará 40 vagas para o cargo de Especialista em Regulação de Serviços Públicos de Energia, com salário inicial de R$ 16.413,35.

MCTI

De acordo com documentos obtidos com EXCLUSIVIDADE pelo Direção Concursos, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) irá aderir ao Concurso Nacional apenas para o provimento das 296 vagas do cargo de Analista em Ciência e Tecnologia.

Por outro, lado, o MCTI optou por publicar um edital próprio para ofertar as vagas destinadas aos cargos de Pesquisador e Tecnologista. As vagas serão distribuídas da seguinte forma:

  • Pesquisador: 253 vagas;
  • Tecnologista: 265 vagas.

MDIC

De acordo com a tabela divulgada pelo MGI, o MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços) irá participar do Concurso Nacional Unificado!

Serão ofertadas 110 divididas entre as seguintes carreiras:

  • 50 vagas para analista de comércio exterior;
  • 50 vagas para analista técnico-administrativo;
  • 10 vagas para economista.

MAPA

O secretário do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), Irajá Lacerda, anunciou que o órgão do Poder Executivo participará do Concurso Nacional Unificado (CNU).

Em Portaria, publicada no Diário Oficial da União (DOU), Irajá Lacerda divulgou, também, o encerramento dos trabalhos da Comissão Especial de Concurso Público, definida em 2 de agosto.

Para o MAPA, serão destinadas 440 vagas de níveis médio e superior, distribuídas entre os seguintes cargos:

  • Agente de Atividades Agropecuárias: 100 vagas;
  • Agente de Inspeção Sanitária e Industrial de Produtos de Origem Animal: 100 vagas;
  • Auditor Fiscal Federal Agropecuário: 200 vagas;
  • Técnico de Laboratório: 40 vagas.

ANS

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) acaba de aderir ao Concurso Nacional Unificado (CNU) e ofertará 35 vagas para o cargo de Especialista em Regulação!

Em nota publicada no portal do Governo Federal, a agência explicou que um dos motivos para a adesão foi a otimização de recursos e a democratização proporcionada pelo exame unificado.

AGU

Advocacia-Geral da União (AGU) irá participar do Concurso Nacional Unificado! A informação foi confirmada pela ministra Esther Dweck, durante entrevista coletiva!

Autorizado pelo Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), na última quarta-feira (27), a AGU irá ofertar 400 vagas para cargos de nível superior, que serão distribuídas da seguinte forma:

  • Administrador: 154 vagas
  • Arquiteto: 5 vagas
  • Arquivista: 2 vagas
  • Analista Técnico-Administrativo: 90 vagas
  • Contador: 47 vagas
  • Economista: 35 vagas
  • Engenheiro: 18 vagas
  • Estatístico: 7 vagas
  • Médico: 3 vagas
  • Psicólogo: 10 vagas
  • Técnico em Assuntos Educacionais: 20 vagas
  • Técnico em Comunicação Social: 9 vagas

MGI

De acordo com a entrevista coletiva da ministra Esther Dweck, o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos será contemplado com 1.480 vagas, sendo 370 para o próprio ministério e as demais 1.110 para carreiras transversais.

Concurso Nacional Unificado – Incra

Após diversas indefinições se o órgão ia ou não aderir ao unificado, o MGI confirmou a participação do Incra no Concurso Nacional Unificado! Serão ofertadas 742 vagas para o órgão.

MDHC

Mais uma adesão ao Concurso Nacional Unificado (CNU)! Durante a coletiva de imprensa sobre o Concurso Nacional Unificado (CNU), a ministra da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, indicou que o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC) participará do certame.

De acordo com a apresentação divulgada pelo MGI, o Ministério em questão ofertará 40 vagas na área de Analista Técnico de Políticas Sociais (ATPS), de nível superior.

INEP

Foi divulgada a lista dos 21 órgãos que irão participar do novo Concurso Nacional Unificado! Dentre eles, está o INEP (Instituto Nacional de Educação e Pesquisa).

Serão ofertadas um total de 50 vagas para o cargo de pesquisador-tecnologista em informações e avaliações educacionais.

Concurso Nacional Unificado – Quais confirmaram que não vão participar?

Em contrapartida aos citados acima, alguns órgãos já confirmaram que não vão participar do CNU, seja pelo fato de estar com trâmites avançados ou com edital já publicado.

Confira abaixo, os órgãos que confirmaram que não irão participar do Concurso Nacional Unificado!

Bacen

Em Ofício enviado ao Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), o Bacen (Banco Central) informou que os trâmites para a realização do concurso da autarquia já estão avançados e ressaltou a urgência na realização do certame, tendo em vista a grande diminuição no quadro de pessoal do órgão.

“Com a diminuição dos quadros do BC tem se se acentuado drasticamente desde o último concurso (de 4.187 servidores em 215 para os atuais 313) e o fato de termos apenas 100 vagas para preenchimento, gostaríamos de de manter o concurso específico do BC de forma a conseguir repor os recursos de forma específica e célere”.

Anatel

A confirmação que a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) não vai participar do unificado foi publicada no Diário da União. A agência informou os motivos para a não aderir ao certame unificado, veja abaixo:

  • Necessidade de contratação de banca examinadora implica redução significativa da vantajosidade oferecida.
  • Ao final do certame, a Anatel não contará com candidatos efetivamente selecionados e aptos à nomeação.
  • Nova contratação apenas para a realização de curso de formação pode resultar em aumento no trabalho das equipes envolvidas na contratação, aumento no tempo para conclusão da seleção e ingresso dos novos servidores e possível aumento no custo final, ao se somar o valor estimado para rateio no CNU com os valores apartados para curso de formação.

O edital do novo concurso Anatel será destinado ao provimento de 50 vagas de Especialista em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações (nível superior). O certame já conta com comissão organizadora.

INPI

O INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) já definiu a banca Cebraspe como organizadora do certame. Como o órgão pretende publicar o edital com “máxima brevidade”, o mesmo optou por não participar do concurso nacional unificado. No entanto, é possível que ocorra sua adesão num próximo edital unificado.

O certame ofertará 120 vagas de nível superior, distribuídas entre os seguintes cargos:

  • Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Propriedade Industrial: 40 vagas;
  • Pesquisador em Propriedade Industrial: 40 vagas; e
  • Tecnologista em Propriedade Industrial: 40 vagas.

Concurso Nacional Unificado – Anvisa

Em resposta ao Ministério da Gestão e Inovação (MGI), a Anvisa elogia a iniciativa de democratizar o acesso aos concursos públicos, entretanto, recusa o convite para participar do edital unificado.

Isso porque, de acordo com a autarquia, os trâmites para a publicação de seu edital próprio já estão bastante adiantados e a adesão ao certame unificado implicaria em replanejar e, consequentemente, atrasar a seleção autorizada.

Por fim, a Anvisa afirmou que não descarta sua adesão ao edital unificado em uma próxima oportunidade.

O concurso Anvisa ofertará 50 vagas para Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária. O cargo exige nível superior de formação o oferece salário inicial no valor de R$ 16.413,35.

Censipam

O extrato de contrato do Censipam com a banca organizadora IADES foi publicado no Diário Oficial da União. Ao todo, serão 50 vagas, de nível superior, para o cargo de analista em ciência e tecnologia, com salário inicial de até R$ 7 mil.

Com a publicação do extrato de contrato, o edital pode ser publicado a qualquer momento, com isso não será possível aderir ao edital unificado proposto pelo governo federal.

Concurso Nacional Unificado – MME

Foi publicado o edital do concurso MME (Ministério de Minas e Energia). Ao todo, são ofertadas 30 vagas, com salários iniciais a partir de R$ 5.488,70. Sob organização da banca organizadora Cebraspe, as provas estão marcadas para o dia 19/11/2023.

O edital MME 2023 oferece oportunidades para o cargo de administrador, que exige nível superior completo em Administração. A carga horária é de 40 horas semanais. Os candidatos serão lotados no Ministério de Minas e Energia, em Brasília/DF.

Os candidatos interessados terão do dia 8 a 29/9/2023 para realizarem as inscrições, mediante o pagamento da taxa de R$ 76,00.

MEC

O edital do concurso MEC (Ministério da Educação) foi publicado! São oferecidas 220 vagas para o cargo de Técnico em Assuntos Educacionais.

Veja a distribuição das oportunidades:

  • Ampla: 165 vagas;
  • Vagas PcD: 11 vagas;
  • Vagas para candidatos negros: 44 vagas.

Os interessados podem se inscrever no portal da banca Cebraspe. Período: 9/8 a 28/8. Para homologar a candidatura, o candidato deve efetuar o pagamento de uma taxa de participação. Valor: R$ 80,00.

Os candidatos serão avaliados por meio de provas objetivas e discursivas. As provas serão aplicadas no dia 8/10 e terão duração de 4 horas e 30 minutos.

Concurso Nacional Unificado – MRE

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU), o edital MRE (Ministério das Relações Exteriores). Ao todo, são 50 vagas de nível superior de formação para o cargo de Oficial de Chancelaria, com salário inicial de R$ 10 mil!

Ao todo, o edital MRE oferece 50 oportunidades de inicio imediato para o cargo de Oficial de Chancelaria. As vagas estão distribuídas da seguinte forma:

  • 37 vagas para ampla concorrência;
  • 3 para PcD; e
  • 10 para candidatos negros.

Para realizarem as inscrições, os interessados deverão acessar o site da banca Cebraspe entre os dias 22 de setembro e 11 de outubro. A inscrição será homologada após o pagamento da taxa no valor de R$ 120.

Provas serão realizadas no dia 12 de dezembro.

FNDE

O edital do concurso FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) foi publicado! Ao todo, são 100 vagas para Especialista em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais, com salário inicial de até R$ 11.513,92.

As oportunidades estão divididas da seguinte forma:

  • 75 ampla concorrência;
  • 5 para candidatos PCD; e
  • 20 para candidatos negros.

As inscrições começaram às 10h de 18 de setembro e terminarão às 18h de 6 de outubro. Os interessados deverão acessar o site da banca, Cebraspe, para realizar a inscrição. A taxa é no valor de R$ 80.

As provas objetivas e discursivas serão aplicadas em 3 de dezembro.

STN

Secretaria do Tesouro Nacional reforça a não adesão ao Concurso Nacional Unificado (CNU)!

Em resposta ao Direção Concursos, o Ministério da Fazenda informou que “em que pese as vantagens apontadas, especificamente quanto ao cargo de auditor federal de finanças e controle, o qual demanda elevada especialização […], o Comitê de Gestão da Secretaria de Gestão […] deliberou, por unanimidade, pela não adesão, neste momento, ao Concurso Nacional Unificado”.

Vale lembrar que, anteriormente, o órgão já havia informado que optaria por edital próprio. Na ocasião, o secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron de Oliveria, citou a importância da especialização do cargo como principal razão para a não adesão ao unificado.

ANTT

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) informou que não irá participar do Concurso Nacional Unificado, proposto pelo MGI!

O motivo se dá pelo remanejamento de vagas entre as áreas de conhecimento proposta, buscando priorizar a área fim.

CNPq

Foi publicado no Diário Oficial da União  (DOU) o edital CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Ao todo, são 50 vagas, de nível superior, para o cargo de analista.

O certame oferta 50 vagas para as seguintes áreas de Analista:

  • Administração e recursos logísticos (5 vagas)
  • Desenvolvimento e Arquitetura de Software (2 vagas)
  • Gestão de dados corporativos (1 vaga)
  • Acompanhamento de projetos e programas em CT&I (14 vagas)
  • Gestão e governança de tecnologia da informação (2 vagas
  • Gestão orçamentária, financeira e contábil (5 vagas)
  • Infraestrutura de tecnologia da informação (2 vagas)
  • Administração de pessoal (5 vagas)

Os candidatos interessados em uma das vagas deverão acessar o site da banca organizadora, Cebraspe, entre 2 e 23 de outubro, para realizarem a inscrição e emitir o boleto de taxa no valor de R$ 120.

As provas serão realizadas no dai 14 de janeiro de 2024!

Concurso Nacional Unificado – MPO

O Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO) publicará seu edital próprio, já que o órgão optou por não aderir ao Concurso Nacional Unificado!

A informação foi confirmada pelo próprio MPO em contato com o Direção Concursos. Dessa forma, a expectativa é que a abertura de seu certame aconteça no prazo máximo de janeiro de 2024.

Vale lembrar que serão ofertadas 100 vagas para Analista de Planejamento e Orçamento. O cargo exige formação de nível superior e oferece salário inicial de R$ 20.924,80.

DNIT

Em resposta à equipe de jornalismo do Direção Concursos, o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) informou que não irá participar do Concurso Nacional Unificado (CNU).

Com isso, o órgão seguirá com o concurso individual, autorizado desde junho. Ao todo, a autarquia ofertará 100 vagas que serão distribuídas da seguinte forma:

  • Analista Administrativo: 50 vagas; e
  • Analista em Infraestrutura de Transportes: 50 vagas.

Concurso Nacional Unificado – ANAC

Em Ofício enviado à ministra de Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) Esther Dweck, o diretor-presidente substituto da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Tiago Sousa Pereira, afirmou que a autarquia não irá participar do Concurso Nacional Unificado (CNU).

O concurso Anac está autorizado desde o primeiro semestre de 2023. Ao todo, serão disponibilizadas 70 vagas para Especialista em Regulação de Aviação Civil. O cargo exige formação de nível superior e oferece salário inicial de R$ 16.413,35.

Segundo o diretor, a Anac iniciou a realização de procedimentos internos para a realização do concurso de forma individual.

CVM

Em Ofício enviado à ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), Esther Dweck, a presidência da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informou que não irá aderir ao Concurso Nacional Unificado (CNU).

No texto, a presidência explica que desde o segundo semestre de 2022, A Comissão está se preparando para a realização do concurso, por meio do mapeamento de necessidades e a descrição dos perfis de conhecimento necessários para atuar no Mercado de Capitais.

Vagas do Concurso Nacional Unificado

Serão ofertadas, ao todo, 6.640 vagas para 21 órgãos diferentes. Veja abaixo, a distribuição das vagas:

  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI): 1.480 vagas (incluindo as vagas transversais)
  • Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC): 110 vagas
  • Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ): 30 vagas
  • Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL): 40 vagas
  • Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa): 520 vagas
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra): 742 vagas
  • Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI): 296 vagas
  • Ministério dos Direitos Humanos: 40 vagas
  • Ministério da Educação: 70 vagas
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai): 502 vagas
  • Ministério da Saúde (MS): 220 vagas
  • Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC): 40 vagas
  • Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP): 130 vagas
  • Ministério do Trabalho e Emprego (MTE): 900 vagas
  • Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS): 35 vagas
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): 895 vagas
  • Advocacia-Geral da União (AGU): 400 vagas
  • Ministério dos Povos Indígenas (MPI): 30 vagas
  • Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO): 60 vagas
  • Ministério da Cultura (MinC): 50 vagas
  • Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep): 50 vagas

Cronograma do Concurso Nacional Unificado

O cronograma previsto para o concurso nacional unificado possui as seguintes datas principais:

  • Até 20 de setembro: criação de um comitê organizador;
  • Até 29 de setembro: adesão dos Ministérios ao Concurso Nacional Unificado;
  • Até 20 de dezembro: publicação do edital de abertura;
  • Março de 2024: realização das provas;
  • Abril de 2024: divulgação dos resultados gerais;
  • Junho/julho de 2024: início dos cursos de formação;
  • Julho/agosto de 2024: ambientação dos novos servidores.

Provas e etapas do Concurso Nacional Unificado

O concurso nacional unificado será dividido entre as seguintes etapas:

  1. Provas Objetivas de Conhecimentos Básicos: etapa comum a todos os candidatos;
  2. Provas Objetivas de Conhecimentos Específicos e Prova Dissertativa: diferente para cada área de atuação;
  3. Avaliação de titulação(para todos os cargos de nível superior e nível médio da Funai (Agente em Indigenismo) acadêmica e/ou experiência profissional pregressa;
  4. Curso de Formação/ambientação: etapa posterior ao concurso nacional unificado.

O que estudar para o Concurso Nacional Unificado?

Sabe-se, até o momento, que as provas serão divididas entre bloco de conhecimentos básicos e conhecimentos específicos. A tendência é que esse último seja diferente para cada área de atuação.

Entretanto, o candidato pode começar a ser preparar estudando para a prova de conhecimentos básicos, comuns a todos os cargos.

De acordo como time de especialistas do Direção Concursos, é provável que a prova de conhecimentos básicos seja composta pelas seguintes disciplinas:

  • Língua Portuguesa
  • Direito Administrativo
  • Direito Constitucional
  • Informática
  • Administração Pública
  • Conhecimentos sobre a realidade brasileira, política, economia e desigualdades
  • Diversidade, Inclusão e Direitos Humanos
  • Ética aplicada ao Serviço Público
  • Raciocínio Lógico-Matemático

Como me inscrever no Concurso Nacional Unificado? Entenda os Blocos Temáticos!

Os candidatos ao concurso nacional unificado irão realizar uma única inscrição e uma única prova, já que a avaliação para todos os cargos acontecerá no mesmo dia.

Assim, é muito importante que os interessados entendam como serão distribuídas as mais de 8 mil vagas, pois o candidato deverá escolher, não o cargo específico, mas a área de atuação para que, através de sua pontuação na prova, seja direcionado ao cargo correspondente.

O modelo assemelha-se ao ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) e as “áreas de atuação” que o candidato deverá escolher vêm sendo chamadas de Blocos Temáticos.

Haverá um edital distinto para cada Bloco Temático, de acordo com o secretário de Gestão de Pessoas do MGI, José Celso Jr.

É importante lembrar, também, que a adesão dos órgãos ao concurso nacional unificado é voluntária. Dessa forma, ainda que determinado órgão esteja listado em um bloco temático, ele ainda poderá poderá publicar seu próprio edital se optar por não participar do unificado.

Veja como foram distribuídos os cargos e vagas dentro dos blocos temáticos:

Bloco 1 – Administração e Finanças Públicas

O primeiro bloco temático do Concurso Nacional Unificado irá ofertar as vagas de nível superior destinadas à Administração Pública e Setores Econômicos do Poder Executivo Federal.

Assim, as 580 vagas destinadas a este segmento serão distribuídas entre os seguintes órgãos e entidades:

  • MGI – Ministério de Gestão e Inovação em Serviços Públicos: 150 vagas;
  • IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada: 80 vagas;
  • MF – Ministério da Fazenda: 40 vagas;
  • MPO – Ministério do Planejamento e Orçamento: 100 vagas;
  • BCB – Banco Central do Brasil: 100 vagas;
  • CVM – Comissão de Valores Imobiliários: 60 vagas; e
  • MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços: 50 vagas.

Veja, detalhadamente, quais serão os cargos disponíveis em cada órgão:

Bloco 2 – Agências Reguladoras e Infraestrutura

O segundo bloco é referente às Agências Reguladoras e órgãos relacionados à Infraestrutura, além de abarcar Setores Econômicos.

Serão 1.015 vagas, distribuídas entre os órgãos abaixo:

  • INMETRO: 100 vagas;
  • INPI: 120 vagas;
  • ANTAQ: 30 vagas;
  • ANTT: 50 vagas;
  • ANAC: 70 vagas;
  • ANATEL: 50 vagas;
  • ANEEL: 40 vagas;
  • ANA: 40 vagas;
  • ANVISA: 50 vagas;
  • ANS: 35 vagas;
  • MGI (Analista de Infraestrutura): 300 vagas;
  • DNIT: 100 vagas; e
  • MME: 30 vagas.

É importante destacar que o concurso MME já teve seu edital publicado, recentemente, e o INPI respondeu ao Direção Concursos que não irá aderir ao certame unificado.

Além disso, diversos órgãos deste bloco já contam com a banca definida, o que indica a não participação no concurso unificado.

Veja detalhes dos cargos na tabela:

Bloco 3 – Agricultura e Meio Ambiente

Os setores de Agricultura e Meio Ambiente integram o terceiro bloco temático do Concurso Nacional Unificado. Aqui, são 1.040 vagas de nível superior, distribuídas entre as seguintes Pastas:

  • MAPA: 200 vagas;
  • INCRA: 742 vagas; e
  • MMA: 98 vagas.

Vale lembrar que o INCRA, em contato com o Direção Concursos, respondeu que não irá participar do certame unificado e seu edital está previsto para ser publicado em novembro de 2023.

Veja detalhes dos cargos do bloco 3:

Bloco 4 – Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação

O quarto bloco é referente aos setores de Educação e Ciência do Poder Executivo Federal. Este é o segundo maior grupo, abrangendo 1.194 vagas de nível superior nos seguintes órgãos:

  • INMET: 80 vagas;
  • CENSIPAM: 50 vagas;
  • MCTI: 814 vagas;
  • CNPQ: 50 vagas;
  • FNDE: 100 vagas;
  • INEP: 50 vagas; e
  • CAPES: 50 vagas.

Confira detalhes dos cargos ofertados em cada órgão:

Bloco 5 – Políticas Sociais, Justiça e Saúde

O quinto bloco temático aborda as Políticas Sociais, Justiça e Saúde. Este é o maior grupo em número de vagas ofertadas, com 1.470 oportunidades de nível superior.

Veja quais são os órgãos e entidades relacionados:

  • MGI (ATPS): 500 vagas;
  • Funai: 350 vagas;
  • FIOCRUZ: 300 vagas;
  • Ministério da Saúde: 220 vagas; e
  • Ministério da Justiça: 100 vagas.

Confira os cargos em cada órgão:

Bloco 6 – Trabalho e Previdência

O sexto bloco temático é o único que abrange apenas uma área: Trabalho e Previdência. São 940 vagas de nível superior, distribuídas da seguinte forma:

  • MTE (AFT): 900 vagas; e
  • Previc: 40 vagas.

Veja detalhes:

Bloco 7 – Dados, Tecnologia e Informação

A área de Dados, Tecnologia e Informação é destinada aos concurseiros da área de T.I. e disponibilizará 894 vagas, assim distribuídas:

  • IBGE: 595 vagas;
  • MGI (ATI): 300 vagas.

Veja detalhes dos cargos:

Bloco 8 – Nível médio

Por fim, o oitavo e último bloco temático irá abranger as 692 vagas destinadas aos cargos de nível médio, autorizados para os seguintes órgãos e entidades:

  • IBGE: 300 vagas;
  • MAPA: 240 vagas; e
  • Funai: 152 vagas.

Veja na tabela quais são os cargos:

Quais cidades terão provas do Concurso Nacional Unificado?

A aplicação das provas do Concurso Nacional Unificado ocorrerá em todas as regiões do país, em cerca de 180 municípios, incluindo todas as capitais e principais centros urbanos.

Veja como será a distribuição dos locais de prova em todo o país:

  • Região Nordeste: 39 cidades;
  • Região Nordeste: 50 cidades;
  • Região Centro-oeste: 18 cidades;
  • Região Sudeste: 49 cidades; e
  • Região Sul: 23 cidades.

Confira a relação completa de cidades que terão provas, em cada região:

Região Norte: 39 cidades

Região Nordeste: 50 cidades

Região Centro-oeste: 18 cidades

Região Sudeste: 49 cidades

Região Sul: 23 cidades

PUBLICIDADE