26 de maio de 2024

Familiares, amigos e fãs dão adeus a Ziraldo, pai do Menino Maluquinho

Estado já tem legislaçãoO velório é aberto ao público, no Rio de Janeiro

Família, amigos e fãs começaram as homenagens ao desenhista e escritor Ziraldo na manhã deste domingo (7/4). O velório teve início às 10h, no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro. O sepultamento está marcado para 16h30, no Cemitério São João Batista, na zona sul da cidade.

Ziraldo morreu na tarde desse sábado (6/4), enquanto dormia em sua casa, aos 91 anos. Recluso desde 2018 por causa de três acidentes vasculares cerebrais, o desenhista deixa esposa e três filhos.

“Meu pai é uma pessoa cuja obra tem uma grande conexão com as pessoas. Naquelas filas enormes das bienais, vinham o avô, o filho e o neto e, às vezes, o bisneto. Todos com um livro esmagado, lido, usado. E isso é lindo”, destacou Daniela Thomas, filha de Ziraldo, de acordo com o G1.

Trajetória brilhante

Nascido em Caratinga, em Minas Gerais, Ziraldo Alves Pinto era o segundo de sete filhos e mostrou interesse e talento para o desenho ainda muito novo — aos 6 anos de idade, teve seu primeiro desenho publicado no jornal A Folha de Minas, em 1939.

Em sua trajetória — que conta com mais de 200 livros –, seu maior fenômeno foi O Menino Maluquinho, que, além do livro de origem, publicado em 1980, rendeu inúmeros quadrinhos, animações e até mesmo produções de cinema. A Turma do Pererê também é de autoria de Ziraldo.

Além de cartunista, Ziraldo era jornalista e tem em seu currículo passagens pelo Jornal do Brasil e pela revista O Cruzeiro. Em 1969, ele fundou, junto a Jaguar, Tarso de Castro e Sérgio Cabral, o jornal alternativo e semanal O Pasquim.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost