Nokun Txai: lançada série televisiva acreana sobre povos indígenas

A obra, que será exibida em todas as TV’s públicas do Brasil, foi aprovada pelo edital TV Pública Norte.

Em uma sessão especial para convidados, foi lançada na noite de quinta-feira, 17, no Cine Teatro Recreio, a primeira série documental acreana “Nokun Txai – Nossos Txais”, dirigida pelo cineasta Sérgio de Carvalho, por intermédio da Saci Produções, e TV Aldeia.

A obra, que será exibida em todas as TV’s públicas do Brasil, foi aprovada pelo edital TV Pública Norte, por meio do Fundo Setorial Audiovisual, Agência Nacional de Cinema (BNDES), Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e Empresa Brasileira de Comunicação (EBC).

Ao todo, são 13 episódios que tratam diversas questões contemporâneas dos povos indígenas do Acre, principalmente os que residem na região do Juruá. Os episódios são: #Alana, Beiradão, Puyanawa Atsa – Encontro com os Ancestrais, A Morada de Hakowo, Mariana e Milton, Kuntanawa, Agentes, Yura Baka – Pessoa Espírito, Noke Koi e Benki.

A solenidade de lançamento para convidados contou com toda a equipe de produção, personagens,
além da primeira-dama do Estado e do diretor da Fundac (Foto: Angela Peres/Secom)

“Temos uma grande diversidade étnica aqui no Acre, e a série buscou fazer uma reflexão dessa cultura tão viva e sobretudo, também, do ponto de vista da contemporaneidade, mostrando quais são os desafios de agora e como esses mundos estão se encontrando”, aponta Sérgio.

A produção contou, em todo o seu processo de aprovação, com apoio da Rede Pública de Comunicação, por meio da TV Aldeia, que articulou nacionalmente para que o edital saísse do eixo da Região Sudeste e chegasse também para os nortistas.

“Nossa equipe esteve presente durante diversas reuniões, debatendo a importância de termos o Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Audiovisual Brasileiro (Prodav) para nossa região. A série entrará em circulação ainda no segundo semestre deste ano, e estamos muito orgulhosos em fazer parte disso”, diz o diretor de programação da Fundação Aldeia de Comunicação, Alexandre Nunes.

No hall de entrada, há uma mostra de fotografias feitas durante a produção da série (Foto: Angela Peres/Secom)
Povos Indígenas pelo mundo

A série acompanhou seus personagens em diversas regiões do Acre, além de episódios gravados em Brasília e na Bélgica. O representante do povo Ashaninka, Francisco Piyãnko, na solenidade em nome de seu irmão Benki Piyãnko, ressaltou a importância de dar visibilidade aos indígenas em uma série que chegará em diversas casas brasileiras.
“Acredito que a produção vai passar uma mensagem muito importante sobre a realidade indígena, e o Acre sai na frente por conta disso, de poder mostrar o que tem de fato, e de uma maneira muito sábia, por meio desses capítulos que retratam aquilo que são, de fato, as origens dos povos indígenas acreanos”, destaca.

A primeira-dama do Estado Marlúcia Cândida, também participou do evento e destacou que acredita no sucesso da produção mundo afora: “É muito rico termos um estado que faz toda política de preservar sua floresta e de inserir os povos indígenas dentro das políticas de desenvolvimento do Estado, e ter hoje uma apresentação de cultura e da vida desses povos é de extrema alegria para todos nós”.

Exibições

Devido ao apagão que ocorreu no Acre, a sessão teve que ser remarcada. Portanto, os episódios Puyanawa Atsa, Benki, #Alana e Noke Koi serão exibidos nesta sexta-feira, 18, às 19h, no Cine Teatro Recreio. As projeções seguem no sábado e domingo, 19 e 20, com os demais capítulos da série.

comentários

Outras Notícias

Veja também