Deputado diz que ao reforçar segurança pessoal, Tião admite que não há segurança no AC


“Essa decisão pode ser revista, só depende da boa vontade dos nossos senadores e deputados federais", disse o parlamentar


O aumento do efetivo militar no quadro do gabinete do governador Tião Viana (PT) foi comentado pelo deputado Gehlen Diniz (PP) na sessão desta quarta-feira (4). Segundo o oposicionista, com quase 100 policiais militares à disposição para manter somente a sua segurança pessoal e de sua família, o governador continua reforçando sua segurança.

Deputado Gehlen Diniz/Foto: Ascom

“Até que enfim o governador se deu conta de que a violência no Acre está sem tamanho, totalmente descabida. Com isso ele tomou uma medida importantíssima, reforçou sua própria segurança. Ele é ninja, quando a gente pensa que não pode fazer mais nada pior ele faz. E a população como fica? O governador quer defender sua integridade física e seu patrimônio, mas e as famílias do Acre? Desses 100 policiais que trabalham no gabinete dele, se três fossem enviados para Sena Madureira já ajudava muito, ou para Manoel Urbano”, disse o parlamentar.

O deputado disse que a falta de investimento na Segurança Pública também é um grave problema. “E assim a Segurança Pública segue sem equipamentos, sem inteligência e sem peritos criminais. Não temos nem 30 peritos criminais atuando no Estado, os que foram aprovados em concurso nunca foram contratados. O mesmo eu falo da prorrogação do cadastro de reserva da PM, o governo não vai contratar mais policiais este ano. Isso é mentira, eles não têm dinheiro para isso. Todo o dinheiro que tem é gasto com mídia, não sobra recursos para mais nada. O governo usa dinheiro para pagar os cargos comissionados, ele não está nem aí para o bem-estar do povo”, finalizou.

O progressista também lamentou o fechamento da unidade da Receita Federal em Sena Madureira. A medida acontece em cumprimento a um decreto publicado no Diário Oficial da União no último dia (25), que suspende atividades de 25 unidades da Receita Federal no país. Gehlen Diniz fez um apelo à bancada federal do Acre, afirmando que os contribuintes que eram atendidos naquela cidade terão agora que se deslocar a Rio Branco para ser atendidos.

“Essa decisão pode ser revista, só depende da boa vontade dos nossos senadores e deputados federais. Para que isso aconteça precisa só de interesse. Nós, deputados estaduais, infelizmente não podemos fazer nada. Essa medida prejudicará mais de 40 mil pessoas, elas vão ter que se deslocar à capital para serem atendidas, isso é lamentável”, finalizou.

comentários

Outras Notícias

Veja Também