Empresa da família de procurador Paskal Calil vai continuar fornecendo alimentos para presos no Acre


Empresa vai fornecer marmitex destinados aos presos custodiados nas delegacias de Polícia Civil

SALOMÃO MATOS, DO CONTILNET

A empresa Calil e Calil LTDA, da família do procurador Paskal Calil e que por muito tempo manteve contratos com o governo, a maioria com dispensa de licitações, para fornecimento de alimentos para os resos no estado, vai continuar prestando os mesmos serviços no atual governo de Gladson Cameli.

Por exemplo, um novo contrato emergencial com dispensa de licitação, pelo atual governo com a Calil e Calil LTDA, foi publicado na edição do Diário Oficial  desta terça-feira (22), para fornecimento de marmitex destinados aos presos custodiados nas delegacias de Polícia Civil e eventual solicitação da Secretaria de Estado da Polícia Civil, em Rio Branco.

O QUE DIZ O GOVERNO 

Procurado para comentar sobre a renovação do contrato com a empresa Calil e Calil, LTDA, mesmo com dispensa de licitação como diz a publicação do DOE, o porta-voz do Estado, Rogério Wenceslau, informou que a contratação foi em caráter emergencial, tendo em vista que ainda não houve tempo hábil para abrir um novo processo licitatório para prestação do serviço.

“O contrato foi emergencial porque ao fim da antiga gestão, não havia empresas contratadas para esse tipo de serviço de fornecimento de alimentos nas delegacias para os presos. Quem estava até então levando alimentos eram os próprios familiares dos presos custodiados. Um processo licitatório demora em média de 120 a 180 dias, e claro, ninguém iria deixar esses presos passando fome, já que é responsabilidade do Estado enquanto eles estiverem detidos aguardando pelo pronunciamento da justiça”, explicou o porta-voz.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Outras Notícias

Veja Também