Rio Branco, Acre,





Falta de transporte escolar na Ponta do Abunã é a causa do fechamento de BR-364


Protesto da comunidade de Extrema deve isolar o Acre do restante do país por via terrestre a partir da manhã desta segunda-feira

TIÃO MAIA, DO CONTILNET

O Acre e sua população devem pagar o pato por um um protesto a ser deflagrado a partir da manhã desta segunda-feira (08) na chamada “Ponta do Abunã”, na divisa entre o Acre e o estado de Rondônia, na localidade conhecida como Extrema. Lideranças de pais e alunos de escolas públicas daquele estado devem fechar a BR-364 a altura da localidade, impedindo o trânsito de veículos nos dois sentidos.

Isso significa que o Acre, totalmente dependente da ligação rodoviária com o restante do país, deve ficar isolado enquanto durar o protesto, cuja data final não foi informada pelos organizadores da manifestação. A Polícia Rodoviária Federal informou que está monitorando informações sobre o protesto e que deve intermediar em busca de uma solução que cause o menor transtorno possível.

O protesto é contra o Governo de Rondônia pela falta de transporte escolar rural para a comunidade local. Os dirigentes do movimento informaram que vão deflagrar o fechamento da rodovia a partir de duas assembleias, uma audiência pública e duas reunião com as comunidades prejudicadas pela falta do transporte escolar rural, sem que providências sejam tomadas.

BR 364 deverá ser interditada nesta segunda/Foto: Rondônia Dinâmica

No último final de semana, foi formada uma comissão com motoristas, mecânicos e outros profissionais da área para que haja fiscalização nos veículos enviados para o transporte escolar na região conhecida como Ponta do Abunã. De acordo com membros da comissão, os veículos que não estiverem em perfeitas condições serão retidos pela comissão e entregues à Polícia Rodoviária Federal. Vão ser examinados até a data de validade dos extintores de incêndios e a documentação dos veículos.

Os líderes do movimento emitiram uma nota de esclarecimento sobre as razões do movimento. Representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais Porto Velho, um dos articuladores do fechamento da estrada, denunciaram que falta de transporte escolar, prometida pelo governo rondoniense, não foi resolvida. “Essa pendenga vem se arrastando há anos e é a causa das preocupações que envolve a todos nós referente ao ano letivo dos nossos Alunos na Ponta do Abuna”, diz a nota. “Pedimos a compreensão dos professores, diretores e representantes regional da rede de ensino público da Ponta do Abunã, a esses sugerimos que respeitem a vontade dos pais de alunos de interditarem as escolas e a BR 364 até chegar os ônibus escolar para toda a rede de Ensino na Região”, acrescentou.

Além da estrada, escolas ao longo da BR 364 também serão. “Só vamos sair depois que o Prefeito de Porto Velho, Câmara de Vereadores, Assembleia Legislativa e o Governo do Estado de Rondônia, venham resolver de vez esta situação”, advertem os manifestantes.

Lideranças da região de Extrema decidiram deflagrar o movimento contra o governo de Rondônia e deve sobrar para o Acre

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários




Outras Notícias

Veja Também