Rio Branco, Acre,


Prefeito de Sena Madureira Mazinho Serafim agora mira Cassiano como desafeto

A causa da briga é o programa do governo estadual Saúde Itinerante, cuja qualidade é questionada pelo prefeito Mazinho Serafim

A vitimização de Bocalom

A coluna começa hoje com uma informação nada edificante segundo a qual o eterno-candidato-a-qualquer-coisa Tião Bocalom, ex-prefeito de Acrelândia (foto), estaria chateado com o redator aqui e se dizendo perseguido pela coluna e pelo próprio site ContuilNet, o que em nenhum momento corresponde à verdade. O redator, como jornalista, não tem amigos a proteger nem inimigos a combater. No episódio da quizília dele com o presidente do partido em que ambos militam, o PSL, Pedro Valério, quis, como manda a boa regra do jornalismo, ouvir sua versão para as acusações feitas pelo dirigente e não fui atendido pelos telefones cujos números me passaram como sendo do político. E posso citar amigos comuns como o empresário Fernando Laje e o advogado Valdir Perazzo, com os quais conversei pedindo que Bocalom ou me atendesse ou retornasse as ligações, o que não foi feito, por capricho, orgulho ou outra coisa do gênero.

Bom então que pare com essa história de vitimização. Está ficando feio.

Encontro de prefeitos

A I Assembleia Geral Extraordinária da Associação dos Municípios do Acre (Amac) ocorrerá dia 06 de maio, em Cruzeiro do Sul, que vai sediar o encontro dos 26 prefeitos e prefeitas do Estado. O encontro será presidido pela prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB), presidente da Amac, mas o grande anfitrião será o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro (PP), que deve aproveitar o evento para fazer um pouco de propaganda e marketing pessoal sobre sua administração.

Tecnologia asfáltica

Ilderlei Cordeiro vai aproveitar o encontro para apresentar experiências relativas à execução do Plano de Resíduos Sólidos e novas tecnologias para pavimentação (fundamentos legais e resultados), adotadas pela Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Sul, bem como visita in loco dos representantes municipais para avaliação dos resultados obtidos. A nova tecnologia é um tipo de asfalto de maior durabilidade adquirido pela Prefeitura para uma operação tapa-buracos com a qual o prefeito que recuperar a cidade e a própria popularidade, já que deve ser candidato à reeleição.

Prorrogação de mandatos

O encontro será uma oportunidade para se saber entre os prefeitos e prefeitas quem é contra ou a favor da proposta de extensão de seus mandatos até 2022, para que o país possa unificar as eleições. A ideia surgiu, no início do mês, em Brasília, durante a chamada Marcha dos Prefeitos e ganhou Proposta de Emenda Constitucional (PEC) apresentada na Câmara Federal, pelo deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB-SC). Se aprovada, significa que vereadores e prefeitos ganhariam mais dois anos de mandato e até poderiam se candidatar à reeleição, para um mandato de cinco anos. A ideia acabaria com as reeleições para o Executivo. Os brasileiros então iriam às urnas para eleger presidente da República, senador, deputados federais, estaduais, prefeitos e vereadores – tudo de uma vez só. A justificativa do autor da ideia é que a unificação das eleições economizaria gastos públicos com a realização de pleitos eleitorais realizados a cada dois anos.

PSDB conta com Kinpara

Por aqui, certos de que a proposta de prorrogação de mandatos será rejeitada na Câmara, dirigentes de partidos continuam se movimento com vistas às eleições municipais do ano que vem, com troca-troca de siglas e danças de cadeiras. No PSDB, partido do vice-governador Wherles Rocha e hoje governador em exercício, é dada como certa a filiação do professor Minoru Kinpara, até aqui cobiçado por todos os partidos, de todos os matizes ideológicos, tanto à esquerda como à direita, para ser seu candidato a prefeito de Rio Branco. Apesar de mais cobiçado que noiva rica, o ex-reitor da Ufac continua a fazer votos de silêncio e a pessoa apontada por ele como sua porta-voz para este tipo de assunto, a esposa Degmar Kimpara, indagada sobre as comemorações do PSDB em torno da possível filiação, deu calado como resposta.

Asfury’s em novo Partido

E na dança das cadeiras, os partidos pequenos, os chamados “Nanicos”, também se movimentam. Semana que começa nesta segunda-feira (29) deve registrar a unificação de dissidentes do Podemos ao PSC do ex-deputado estadual Jamyl Asfury. É o empresário Francimar Asfury, primo do dirigente do PSC, que articula a mudança de partido causada por um revés sofrido pela cúpula do Podemos, que era presidido no Estado pelo primo do empresário, Eros Asfury, derrubado do cargo pelo vereador Railson Correia. Incomodados com o golpe, os Asfury devem se reunir agora sob o mesmo guarda-chuva partidário.

Nenem vai deixar o PHS

Na Câmara Municipal de Rio Branco, o vereador Raimundo Neném, eleito pelo PHS, deve ir para o PSB, partido agora presidido em nível municipal pela prefeita Socorro Neri. A ideia é, além de integrar a base da Prefeitura, ficar mais próximo da prefeita, que acaba de perder um interlocutor, o vereador Artêmio, que deixou o PSB e está, como se diz no mercado, na pista, sem partido. Deve ir para o DEM, PSD ou DEM, para se aliar de vez ao governo de Gladson Cameli.

Moraes no PSB

Enquanto isso, a bancada do PT na Câmara deve minguar. O presidente Moraes deve se filiar ao PSB. Candidato à reeleição, ele avaliou que dificilmente o PT fará mais de dois vereadores em 2020. Como, além dele, o partido já tem Rodrigo Forneck e Dr. Jackson como vereadores, achou que poderia sobrar na disputa.

Candidata a madrasta

Ainda sobre a futura disputa para a Prefeitura de Rio Branco, a candidatura à prefeita da esposa do senador Sérgio Petecão (PSD-AC), Marfisa Galvão, foi abortada. O operador foi ninguém menos que seu marido. Quando perguntado se ela seria ou não candidata à Prefeitura, Petecão, naquele seu jeito Petecão de ser, disse:

– Eu sei que ao que ela é candidata… é candidata a cuidar de uma ruma de meninos que eu tenho – disse.

Aniversário de Cabide

Aniversariante da semana passada, o ex-vereador Manuel Valdir, o “Cabide”, que completou 55 anos de idade, do seu alto de seu 1 metro e 12 centímetros, reclamou do ostracismo a que foi relegado após perder a reeleição. Quando tinha mandato, principalmente na época de seu aniversário, não faltavam convites para festas e banquetes. Hoje, sem mandato e de volta à condição de fabricante artesanal de sabão e outros produtos de limpeza, o ex-vereador teve que contentar-se com os cumprimentos de poucos amigos e alguns parentes. “Nem o Evandro lembrou”, ousou reclamar.

Sinteac em Tarauacá

A eleição para escolha da nova diretoria do Sinteac (Sindicato dos Trabalhadores em Educação) em Tarauacá, que acontece no próximo dia 6 de maio, vai ser um termômetro de como está a política na cidade e no restante do interior, após às eleições do ano passado. A eleição promete movimentar os cerca de 750 associados, com duas chapas em disputa. A primeira, encabeçada pelo atual presidente, o professor e vereador Lauro Benigno, tendo como vice o professor Eurico Paz. A chapa tenta sua reeleição. A segunda, encabeçada pela professora Marleide Martins, tendo como vice o professor Ivonaldo Benigno. Serão disponibilizada 18 seções eleitorais distribuídas nas escolas. As escolas rurais 15 de junho localizada na BR 364 rumo a Feijó e Escola Eduardo Santos Moraes, baixo Rio Tarauacá também terão seções eleitorais. A chapa 1, que tenta à reeleição, tem inserção junto à Frente Popular, enquanto a segunda estaria mais para o atual governo.

Mazinho Serafim versus Jairo Cassiano

Outra notícia do interior, agora de Sena Madureira, dá conta de novo bate-boca entre o prefeito Mazinho Serafim (MDB), e o diretor do Hospital “João Câncio”, Jairo Cassiano (foto), que um dia foram amigos e hoje vivem ás turras. Pessoalmente e nas redes sociais, a briga entre os dois está naquele nível de do pescoço para baixo, tudo é canela. Até aqui, Jairo tem sido o mais comedido e não tem respondido o prefeito no mesmo tom e não tem retrucado as ofensas pessoais. Segundo Mazinho, “Cassiano vive de enganar a todo mundo”.

“Petista enrustido”

A causa da briga é o programa do governo estadual do saúde itinerante, cuja qualidade é questionada pelo prefeito Mazinho Serafim. De acordo com o prefeito, um único médico atendendo mais de 200 pacientes por dia não é um bom atendimento. Quando Cassiano tentou defender-se, Mazinho disse que ele, além de enganador, não passa de um petista enrustido – acusação feita porque o diretor do Hospital fez parte da Frente Popular do Acre, nos governos passados.

Briga tá feia

Um ex-aliado de Mazinho Serafim, que vem assistindo a briga entre o prefeito e Jairo Cassiano, disse à coluna que ele ( Mazinho) não pode ficar chamando os outros de enganadores, e muito menos de petista enrrustido. “O Mazinho foi ao último nível de ingratidão com o deputado Ghelen Diniz e com outras pessoas que o ajudaram a se eleger prefeito de Sena. Com a Charlene Lima, nem se fala… E sobre o PT, Mazinho também já foi deputado pelo PT, e na última eleição deixou de ajudar um correligionário dele, o Marcio Bittar, para pedir votos para um candidato a senador do PT. Que moral ele tem?”, pergunta.

Guerra judicial

Também no interior, desta vez em Porto Acre, quem está em pé de guerra é o deputado estadual Jenilson Leite (PC do B), com dois vereadores do município. Os vereadores Gilberto Ribeiro de Oliveira (PV) e Dilcelio Nogueira da Silva (PEN) acusam o deputado de fazer atendimento médico no interior apadrinhando empresas que atuam na área de saúde receptoras de dinheiro irregular da Prefeitura. Os vereadores pediram inclusive a abertura de uma comissão de investigação da Câmara citando o vereador como uma espécie de padrinho das empresas que atuariam com ilegalidades. Jenilson Leite, que é médico, diz que faz os atendimentos de forma humanitária, sem nada cobrar, e entrou na Justiça com processo contra os dois vereadores.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias