17.3 C
Rio Branco
21 julho, 2021 9:33 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Esquerda precisa ser mais assertiva se quiser evitar polarização entre Gladson e Petecão

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

‘Despolariza’

Nas últimas semanas, alguns partidos de esquerda e de centro no Acre começaram a discutir alianças e nomes para a disputa das eleições do ano que vem. Mas é preciso mais para furar a ‘bolha’ da polarização entre Gladson e Petecão. Enquanto o grupo estiver na fase das discussões e sem nomes definidos para senado e governo, a pipa não vai pegar vento. É preciso bater o martelo para ir a campo.

Ninguém sabe

Enquanto os nomes do governador Gladson Cameli e do senador Sérgio Petecão já estão na boca do povo, uma possível terceira via ainda não encontrou esse espaço. Do bloco composto por PT, PCdoB, PSB, PSOL e PV, dois nomes surgem como possíveis candidatos ao governo, o do deputado estadual Jenilson Leite (PSB) e o do ex-senador Jorge Viana (PT), porém, o próprio Jorge tende a preferir se candidatar ao senado, que no mesmo bloco também conta com o nome do advogado Sanderson Moura (PSOL) para a disputa ao cargo.

Pressão

Sondei com militantes e dirigentes de partidos do bloco e já existe um movimento para que Jorge Viana dispute o governo e não o senado. Segundo essa turma, só Jorge teria condições de disputar com chances de se eleger para o governo do Acre em 2022. A resistência do petista é porque enxerga na disputa para o senado um cenário mais propício para a sua eleição.

Novo velho

No PT, velhos conhecidos já se preparam para disputar novamente as cadeiras que um dia ocuparam. Derrotados nas últimas eleições, Angelim e Sibá Machado já são dados como certo na disputa para a Câmara Federal, junto com Léo de Brito, que conseguiu a vaga após a cassação do mandato do ex-deputado Manuel Marcos (Republicanos). Já para a disputa das vagas na Aleac, o PT deve apresentar novidades, como o nome do ex-prefeito da Capital, Marcus Alexandre, do presidente estadual do partido, Cesário Braga, e do ex-dirigente da OAB/AC, o advogado Charles Brasil.

Eletrobrás

Em votação nesta segunda-feira (21) na Câmara Federal, a Medida Provisória 1031/21, com as emendas do Senado sobre a privatização da Eletrobrás, foi novamente aprovada. Se não fosse passasse até amanhã, a medida perderia validade. Na primeira votação sobre o tema, em maio, votaram a favor da privatização os deputados Alan Rick (DEM), Vanda Milani (Solidariedade), Jesus Sérgio (PDT), Mara Rocha (PSDB) e Flaviano Melo (MDB). Votaram contra a privatização, os deputados Léo de Brito (PT), Jéssica Sales (MDB) e Perpétua Almeida (PCdoB). Na votação de hoje, os votos se repetiram, com exceção de Flaviano Melo, Léo de Brito e Jesus Sérgio, que estavam ausentes e não votaram.

Formiguinha

Nas redes sociais, a deputada federal Jéssica Sales (MDB) tem divulgado sua intensa agenda de visitas pelo interior do Acre. A deputada chega a cumprir mais de três agendas em um único dia, número acima da média comparado a outros parlamentares. Nesse ritmo e com esse trabalho de formiguinha, Jéssica encaminha a passos largos sua reeleição.

Vacina no braço

Após muita queixa por parte da população de alguns parlamentares, parece que finalmente a campanha de vacinação contra a Covid-19 engrenou. Só no mutirão promovido pelo Governo do Estado, na frente do Palácio Branco, foram quase 5 mil doses aplicadas. Já no mutirão da Prefeitura, no Ginásio do Sesi, foram mais de 8 mil doses. De acordo com o secretário municipal de Saúde, Frank Lima, Rio Branco alcançou neste final de semana a marca dos 100 mil imunizados com a primeira dose. Números animadores.

No interior

Viajando pelo interior há mais de uma semana com o seu Gabinete Móvel, o deputado estadual Roberto Duarte (MDB) visitou hoje, a convite do Depasa, uma perfuração de poço artesiano no município de Cruzeiro do Sul. A perfuração faz parte do programa “Água para todos”, do governo estadual. Só em Cruzeiro do Sul, 15 mil famílias serão beneficiadas pelo programa.

Fora

Nomeada para a superintendência do Ibama no Acre em 3 de março deste ano, a advogada Helen de Freitas Cavalcante foi exonerada do cargo no última quinta-feira (17). Na época da nomeação, o nome da advogada foi questionado por ONG’s de defesa do meio ambiente e até pelo MPF, porque a advogada atuava na defesa de infratores ambientais, o que geraria conflito de interesses.

Repetiu

O ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (MDB), tem a mesma opinião que a sua filha, a deputada federal Jéssica Sales (MDB), sobre o governo Gladson Cameli (Progressistas). Para eles, o governador está cercado de incompetentes. A declaração de Sales foi dada em um evento político na última sexta-feira (18). Vagner, que já foi secretário de Gladson Cameli, está cada vez mais afastado do governador. Se quiser a família Sales junto novamente, Gladson vai ter muito trabalho para convencê-los.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.