37.6 C
Rio Branco
21 setembro 2021 2:05 pm

Aos 74 anos, morador de Sertãozinho, SP, vence concurso de beleza internacional

Edson Rodrigues Santinho representou o país em uma disputa contra representantes da terceira idade de países latino-americanos. Em 1980, ele foi eleito o "homem mais bonito do Brasil"

POR G1

Última atualização em 22/08/2021 15:10

No auge dos seus 74 anos, dono de volumosos cabelos grisalhos e olhos verdes, Edson Rodrigues Santinho acaba de conquistar mais um título na carreira que segue nas passarelas – o de ‘Rei do Mercosul’. Representante do Brasil no concurso que reuniu outros charmosos bonitões da terceira idade, Edson coleciona muitas outras vitórias.

Professor e funcionário público aposentado, Edson vive em Sertãozinho (SP), cidade natal dele. No concurso realizado em agosto deste ano, disputou a coroa com candidatos de países da América Latina de forma remota, pela internet. É que a pandemia impediu o desfile presencial, que seria em Camboriú (SC).

Para o competidor, ser consagrado o 4° Rei do Mercosul não é apenas uma conquista individual, mas uma demonstração de amor.

“A coroa que ganhei não é de ouro, nem prata, mas também não é de lata. É de amor pela minha cidade e pelo meu Brasil. Quando eu piso naquela passarela, não sou eu. Eu vejo a minha cidade, então eu pego a energia de todos que estão me apoiando e piso firme e saímos, às vezes, vitoriosos”, afirma.

Afinidade com misses levou às passarelas

Nem sempre a vida foi de desfiles. Edson começou a trabalhar aos 14 anos em uma oficina como desenhista. Fez um curso profissionalizante em Ribeirão Preto (SP), e, depois, foi aprovado em um concurso público na prefeitura de Sertãozinho, onde trabalhou por 34 anos com projetos arquitetônicos e no cadastro imobiliário.

Foi na própria prefeitura que surgiram os primeiros contatos com o universo das passarelas. Por ser admirador de pessoas que atuavam em concursos de beleza, acabou sendo designado para acompanhar misses da cidade em eventos e concursos.

“Por várias décadas, tivemos representantes belíssimas de Sertãozinho, e eu tive sempre o prazer de ser o acompanhante delas, o preparador. Isso vai encantando a gente.”

Nessas andanças, acabou chamando a atenção de organizadores de concursos e recebendo convites. “Eu participei de vários desfiles de moda, principalmente beneficentes. Eu nunca lucrei com isso, foi sempre por prazer, com espírito de ajuda e solidariedade.”

Leia mais em G1, clicando AQUI.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.