21.3 C
Rio Branco
28 junho 2022 11:07 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Buscas por indigenista e jornalista britânico desaparecidos no Amazonas entram no 6º dia

Dom Phillips, que escreve para o jornal 'The Guardian', e o servidor licenciado da Funai Bruno Pereira foram vistos pela última vez no domingo (5)

POR G1

As buscas pelo indigenista Bruno Araújo Pereira e pelo jornalista inglês Dom Phillips continuam neste sábado (11). Os dois desapareceram no domingo (5), quando navegavam pela Terra Indígena Vale Javari, no Amazonas.

A reserva onde eles desapareceram é palco de conflitos relacionados ao tráfico de drogas, roubo de madeira e garimpo ilegal.

A procura pelos dois teve início no próprio domingo por integrantes da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja). Como não conseguiram localizá-los, alertaram as autoridades sobre o sumiço na segunda-feira.

As buscas ao indigenista e ao jornalista reúnem o Exército, a Marinha, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) e a Polícia Federal. O Exército atua desde a tarde de segunda, na região do Vale do Javari, com combatentes de selva da 16º Brigada de Infantaria de Selva, sediada em Tefé (AM).

A equipe conta com, aproximadamente, 250 homens, com militares especialistas em operações em ambiente de selva que conhecem o terreno onde acontecem as buscas. Duas aeronaves, três drones e 20 viaturas foram deslocadas ao município para prestar apoio às investigações.

O ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, comentou, durante uma audiência na Câmara na quarta-feira (8), sobre o caso e disse não ter “noção do que tenha acontecido”.

Em coletiva de imprensa realizada na quarta (7), o superintendente da Polícia Federal (PF) no Amazonas, Eduardo Fontes, afirmou que nenhuma linha de investigação foi descartada.

A PF também instaurou um inquérito para apurar o caso.

Mapa mostra onde jornalista e indigenista desapareceram na Amazônia — Foto: Arte/g1

Mapa mostra onde jornalista e indigenista desapareceram na Amazônia — Foto: Arte/g1

Neste sexta-feira (10), a Unijava divulgou uma nota dizendo que solicitou apoio da Embaixada do Peru no Brasil, para buscas por Bruno Pereira e Dom Phillips, nas áreas de fronteira no território peruano próximas ao lugar do desaparecimento.

Equipes que fazem buscas pelo indigenista Bruno Pereira e pelo jornalista britânico Dom Phillips encontraram um “material orgânico aparentemente humano”, no rio, próximo ao porto de Atalaia do Norte, também na sexta (10).

De acordo com a nota, divulgada pela Polícia Federal (PF), o material encontrado foi encaminhado para análise pericial pelo Instituto Nacional de Criminalística da PF.

O desaparecimento

Bruno e Phillips foram vistos pela última vez quando chegaram na comunidade São Rafael por volta das 6h de domingo e onde conversaram com a esposa do líder comunitário apelidado de Churrasco. De lá, eles partiram rumo a Atalaia do Norte, viagem que dura aproximadamente duas horas, mas não chegaram ao destino.

“Os dois se deslocaram com o objetivo de visitar a equipe de Vigilância Indígena que se encontra próxima à localidade chamada Lago do Jaburu (próxima da Base de Vigilância da FUNAI no rio Ituí), para que o jornalista visitasse o local e fizesse algumas entrevistas com os indígenas”, diz o texto da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja).

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.