32.3 C
Rio Branco
9 agosto 2022 6:50 pm

Mulher diz ser vítima de golpe por empresa de consórcio no AC e tem prejuízo de mais de 20 mil

O consórcio foi feito no dia 30 de março, mas até o momento, Djneide não recebeu o valor

POR MARIA FERNANDA ARIVAL, DO CONTILNET

Última atualização em 12/07/2022 16:13

Parte dos brasileiros sonham em conquistar bens materiais e ter estabilidade financeira, e muitas vezes alcançam os objetivos através de consórcios. No Acre, uma mulher afirma ter sido vítima de um golpe por uma empresa de consórcios e teve prejuízo de mais de 20 mil reais.

A senhora Djneide Costa, em contato com uma empresa de consórcios no Acre, fez um consórcio no valor de R$500 mil no dia 30 de março deste ano. Segundo um familiar da mulher, o vendedor foi até Sena Madureira, município onde Djneide mora, e explicou que para ela fazer esse consórcio, teria que dar uma entrada.

“Ela deu uma entrada no valor de R$21.655, porém ele disse algo totalmente diferente para ela, que ia colocar ela em um consórcio pré contemplado e com esse valor de lance, logo seria contemplada no consórcio”, explica o familiar, que não quis ser identificado, mas fala pela mulher que possui pouco estudo.

Ainda segundo o parente de Djneide, o vendedor disse que a mulher não precisaria pagar parcelas mensais, e sim anuais, mas já chegou duas parcelas para ela no valor de, aproximadamente, R$2 mil, como se ela tivesse recebido o valor e estivesse devendo, mas Djneide não recebeu.

Djneide foi até a sede da empresa em Rio Branco para fazer o cancelamento e, segundo o familiar, a empresa disse que não poderia fazer nada por Djneide, pois teria que vender o consórcio dela para poder devolver o dinheiro.

“Nada se resolve, ligamos para um e para outro e ninguém atende. Fizemos Boletim de Ocorrência e vamos tomar as devidas providências”, explica o familiar da mulher.

De acordo com o parente, quando foram até a empresa, o vendedor se escondeu e mandou outra pessoa conversar. “A pessoa disse que ia resolver a situação e depois veio com outro assunto, disse que não ia ter como resolver. Então a gente registrou Boletim de Ocorrência e nele deu como se fosse estelionato, pois o que ele falou não tinha nada a ver, ela não recebeu e está é devendo”, diz.

O familiar afirma que pretende entrar com uma ação contra a empresa e que “O B.O foi o primeiro passo”.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.