11 de junho de 2024

Camila Moura diz que faltou “hombridade” de Lucas Buda após o BBB24

Durante entrevista ao podcast Tá Benito, Camila disse que ainda mantém contato com o ex-BBB Lucas Buda para resolver questões burocráticas

Camila Moura contou, em entrevista ao podcast Tá Benito, que ainda fala com o ex-marido Lucas Henrique, conhecido como Buda, que participou do BBB 24 e esclareceu a relação.

“Já tive alguns contatos com ele, mas foram todos burocráticos. (…) Coisas burocráticas e pontuais. Tipo: ‘oi’, ‘bom dia’, nem parece que a gente foi casado um dia”, contou Camila.

Ela ainda garantiu que não pensou em voltar com o ex-BBB após o fim do programa: “Nós nunca nem sequer conversamos sobre a possibilidade de reatar. Para mim, o casamento acabou quando ele falou [para a Pitel] ‘baiana, você me conquistou’. Eu nunca cogitei. Eu esperava hombridade de um homem que foi casado comigo”.

“Eu não queria um pedido de desculpa. (…) ‘Olha, saí, não posso falar agora, depois a gente conversa’. Ou ligar para a minha mãe. O mínimo da decência da comunicação possível”, alfinetou.

Camila x Buba

A professora anunciou o término da relação de 15 anos com Lucas Buda após, ainda no BBB, o capoeirista investir em Giovana Pitel.

“Ele foi meu primeiro namoradinho, de 13 anos. Meu primeiro beijo na boca, a primeira transa. E ainda é. Foi o primeiro homem que eu me relacionei foi com ele”, disse Camila, de 29 anos, em entrevista a Lucas Selfie.

Camila também detalhou o primeiro episódio de infidelidade por parte do brother, que abalou a relação dos dois. “A gente fez o clássico do ‘chora, perdoa, faz terapia de casal’. Era uma coisa que eu tinha prometido para mim, que eu não ia aceitar de novo. O combinado era esse. Foi uma vez, vamos se tratar, se resolver”, contou.

“Fiz o que a (apresentadora) Adeia Freitas fala: que nós mulheres não devíamos ser ONG de macho. Ela fala: ‘Não seja ONG de macho!. Você não tem que curar macho nenhum, ser a reabilitação de macho’. Eu fui ONG de macho nesse primeiro momento e perdoei. Terapia, os traumas de infância”, afirmou Camila.

Ela conta que pediu ao então marido não a expusesse em rede nacional. “O combinado era que ele não me chifrasse. Porque eu não queria ser tachada de corna e chifruda. Tinha medo de ser chamada de chifruda na escola pelos meus alunos”, justificou.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost