Pistola apreendida em presídio estava desaparecida há dois anos e polícia estava avisada

A pistola Taurus .380 encontrada em uma das celas do Pavilhão “A” do presídio Francisco de Oliveira Conde havia desaparecido em 2015 e perda foi registrada

O presidente da Associação dos Agentes Penitenciários (Agepens), José Janes Gomes da Silva, informou na manhã desta quarta-feira (11) que a pistola Taurus .380 apreendida na posse de detentos do Pavilhão “A” do presídio Francisco de Oliveira Conde (FOC) foi extraviada há cerca de dois anos, tendo o proprietário pela arma feito todos os registros policiais necessários. No pavilhão “A” estão reunidos os presos ligados à facção criminosa Comando Vermelho (CV).

Janes revelou ter o fato ocorrido ainda no mês de agosto de 2015, quando o agepen dono da arma deu pela falta no trajeto para o presídio. No mesmo momento o agente retornou pela estrada e fez buscas em companhia de colegas, mas nada foi encontrado.

A pistola apreendida no presídio Francisco de Oliveira Conde foi extraviada há cerca de dois anos, tendo o proprietário pela arma feito todos os registros policiais necessários, diz presidente da Agepens

“O agente registrou a perda da arma na Delegacia de Polícia no dia seis de agosto de 2015. Não houve qualquer sindicância do Iapen por ter sido um extravio de arma pessoal. Ele só responderia perante a instituição caso fosse uma arma de serviço”, informou.

A hipótese levantada pelo sindicalista é de que tão logo a arma se desprendeu e caiu, pode ter sido recolhida por algum pedestre ou até mesmo por algum preso do regime semiaberto transitando pelo local. “Agora é preciso investigar como esta arma foi parar nas mãos de alguém que deveria estar isolado dentro do presídio”, comentou.

comentários

Outras Notícias

Veja também