Calote: estudantes brasileiros denunciam golpe na compra de passagens aéreas na Bolívia

“Conheço pessoas de Rondônia, da Bahia, Maranhão e até de outros países como México, que foram enganadas por ele”, disse uma das vítimas

A estudante de do 5º período do curso Medicina em Cochabamba, Samara Tavares Anute, foi vítima de um golpe de passagens aéreas. Já planejando suas férias do meio do ano em família, a acreana comprou as passagens na empresa Viccios Tour no mês de maio, com a data de embarque para o dia 10 de julho e destino a Cobija. Entretanto, descobriu que se tratava de uma passagem falsa. A estudante afirma que esta não foi a primeira vez que comprava passagens com o empresário Johnny Richard Soto Pinto.

Johnny Richard sumiu após vender passagens falsas a estudantes/Foto:Reprodução

“Uma das pessoas que também foi lesada foi tentar remarcar sua passagem e procurou o Jhonny no Facebook, mas não econtrou. Achando estranho, entrou em contato pelo whatsapp e ele não respondeu. Ao chegar no aeroporto viu que a passagem não existia, era falsa e como foi com o mesmo vendedor eu imediatamente fui verificar a minha, pois pra minha surpresa eu também tinha sido vítima do mesmo golpe”, disse.

Samara disse ainda que ao postar o fato nas redes sociais, descobriu que várias outras pessoas também haviam sido vítimas do mesmo golpe com o mesmo vendedor.

“Ele emitia as passagens e logo em seguida pedia o cancelamento, ele não enganou só a gente estudante, mas também proprietários de agências de viagem que ele fez parceria para usar o código deles. Na verdade ninguém esperava, porque vai fazer três anos que eu estou aqui e nesse período eu e alguns colegas só comprávamos passagem com ele,  nunca tinha dado problema [até então]. Ficamos todos chocados e indignados com essa situação, porque somos estudantes e ralamos pra passar as férias com a família”.

Em conversa com estudante, o empresário afirma que não vai devolver o dinheiro

Ainda de acordo com Samara, pessoas de vários lugares do Brasil e de outros países foram lesadas. “Conheço pessoas de Rondônia, da Bahia, Maranhão e até de outros países como México, que foram enganadas por ele”, finalizou.

A estudante, bem como outros clientes que se dizem lesados pelo empresário, chegaram a entrar em contato com Jhonny pelo aplicativo de mensagens WhatssApp. Na conversa que a jovem supostamente teve com o empresário, ele diz que o dinheiro dos estudantes não será devolvido: “Não vai ser feito devolução do dinheiro de vocês. Já gastei tudo, estou em La Paz agora só vendo como sair do país. Não estou nem aí para o que vocês vão fazer, a polícia daqui não faz nada”.

Logo após finalizar a compra, o estelionatério cancelava as passagens vendidas

comentários

Outras Notícias

Veja também