Oposição vai distribuir pizzas gigantes na Câmara Municipal em ofensiva à relatório da CPI

Pizzas gigantes que serão distribuídas no momento da votação do relatório de Ramos pelos vereadores

Laboratório

O PT parece que desaprendeu na sua forma de fazer oposição. Os ataques sucessivos ao senador Gladson Cameli mostram claramente esse amadorismo. Diante da exposição diária pelas redes sociais, estão transformando o progressista em vítima, coisa que a população adora. Foi assim contra Perpetua Almeida, deu no que deu.

Enquanto isso…

O senador se prepara para assinar mais um convênio com a Sudam, vai a Sena Madureira, formalizar o último passo para aquisição de uma Usina de Asfalto para a sede do Iaco. Quem está feliz igual menino é o Mazinho Serafim. Ele já pensa em pavimentar todas as ruas da cidade. “E não é o projeto Ruas do Povo?”, alertou o prefeito.

Morto vivo

Michel Temer

O presidente Michel Temer, que todos dão como morto diante da denúncia de corrupção passiva, demonstrou força nesta terça-feira (11) ao aprovar no Senado a Reforma Trabalhista com 50 votos favoráveis.

Clima tenso

O clima ficou tenso, senadoras petistas sequestraram a Mesa do Senado. Bateram boca, e segundo a imprensa nacional, estavam à mando de José Dirceu e do presidente da CUT. A Central é uma das que perde recursos consideráveis com a reforma e não obrigação da contribuição sindical.

Pronunciamento

O presidente Michel Temer fez um pronunciamento na noite desta terça-feira (11) e se mostrou satisfeito com a aprovação da reforma trabalhista no Senado, chamada por ele de “uma das reformas mais ambiciosas dos últimos 30 anos”. A reforma segue agora para sanção presidencial.

Ampla maioria

Temer agradeceu a deputados e senadores e fez questão de lembrar que a aprovação da reforma se deu por “expressiva maioria”. Em seguida, afirmou que a nova legislação trará empregos e deixará o país mais competitivo.

Mais uma do Emylson
O secretário Emylson Farias saiu com outra pintura no famoso conto de fadas que ele vive na Segurança Pública, disse nesta terça-feira (11), durante gravação do programa Gazeta Entrevista, que a culpa pelo aumento da violência no Acre foi a execução de Jorge Rafaat.

O “Rei da Fronteira”

Para quem não conheceu, o empresário e narcotraficante Jorge Rafaat Toumani foi executado com vários disparos após cair em uma emboscada em junho de 2016, em Pedro Juan Caballero – cidade que faz fronteira com a brasileira Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande (MT). Rafaat foi condenado em 2014 por tráfico pelo juiz federal Odilon de Oliveira. Era considerado o “Rei da Fronteira”.

 

emylson-farias-capa

Emylson Farias

As declarações

Emylson, para relatar a ligação da execução de Rafaat com o número de homicídios no Acre, pode ter se baseado nas declarações do policial federal e secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame.

Abre aspas

“Temos relatórios dando conta de que a facção [PCC] já atua no Paraguai e isso, se confirmado, vai mexer com o futuro da criminalidade no Brasil. A morte desse traficante [Rafaat] é um alerta muito grave para todos nós”, disse Beltrame.

Perseguido

Em um período de 15 anos, o empresário e narcotraficante Jorge Rafaat Toumani, de 56 anos, sofreu três tentativas de assassinato. Os apontados pelo ataque, segundo investigadores, foram cerca de cem mercenários ligados a grupos paraguaios e à facção brasileira Primeiro Comando da Capital, o PCC.

Cambaleou

Emylson errou feio nas estatísticas ao afirmar que o número de homicídios caiu em todo o Estado. Seus dados vão de encontro ao relatório do Mapa da Violência 2014. Os registros indicam que os casos de homicídio no Acre aumentaram 38,4% entre os anos de 2002 e 2012. Somente entre os anos 2011 e 2012, o aumento nas mortes foi de 24,5%.

Fora do páreo

Pela reação do secretário, ele já está fora da disputa ao Palácio Rio Branco. Emylson desconversou qualquer tentativa do apresentador de falar sobre pré-candidatura em 2018. Disse que só pensa em fazer Segurança Pública. Imagine se ele pensasse em outra coisa!

Pizza

Terminou em pizza a CPI dos Transportes Coletivos. Embora o relator do processo, vereador Jackson Ramos, do PT, tenha reconhecido que o município assinou termos aditivos com empresas apresentando deformidades fiscais, inocentou o prefeito Marcus Alexandre de qualquer participação nesse fato.

Duarte reagiu

O vereador Roberto Duarte disse que após a apresentação do relatório, ficaram mais claras as evidências de irregularidades. “São maiores do que eu imaginei”, acrescentou. O peemedebista vai cobrar no Ministério Público Estadual, documentos não apresentados pelos empresários na assinatura dos aditivos.

Garçom

CPI dos Transportes

A Juventude peemedebista promete levar para o plenário da Câmara na manhã desta quarta-feira (12) pizzas gigantes que serão distribuídas no momento da votação do relatório de Ramos pelos vereadores. Na Comissão o placar foi apertado. O voto minerva do presidente da CPI, vereador Railson Correia (PTN) garantiu vitória da base de Marcus Alexandre, por 3 x 2.

Fraco

O relatório de apenas 30 páginas descreveu uma Comissão que apurou coisa alguma. A investigação de termos aditivos milionários ouviu apenas três pessoas: o procurador-geral do município, e dois empresários do setor de transportes coletivos.

Cobrança

Embora tenha se debruçado na elaboração do texto final, faltou nos autos do processo, além de documentos das empresas, relatórios técnicos que embasam o que o vereador Jackson Ramos chamou de prestação de serviços satisfatórios pelas empresas aos usuários do sistema em Rio Branco.

Lula ganhou uma

O Ministério Público Federal (MPF) pediu na terça-feira (11) à Justiça o arquivamento da investigação interna aberta para apurar a suposta tentativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de obstruir o andamento da Operação Lava Jato. O procedimento foi aberto com base na delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral.

comentários

Veja também