Sabem quem, também tem muita culpa pelos alagamentos em Rio Branco? Os Sujismundos


Há milhares de anos o homem aprendeu que lixo acumulado e água suja disseminam doenças. E nós, aqui no século XXI ainda não aprendemos isso

WANIA PINHEIRO, DO CONTILNET

Sujismundos do século XXI

Eu era criança quando o governo federal lançou uma campanha educativa, onde um boneco de nome Sujismundo era o principal personagem. O slogam da campanha era: “Povo desenvolvido é povo limpo”. O objetivo era melhorar os hábitos dos brasileiros que jogavam lixo na rua, nos quintais de suas casas, enfim, por onde passavam.

As cenas tristes de casas alagadas que tenho assistido na capital acreana, me trazem as lembranças daquele boneco sujo, de maus hábitos, cujo nome acabou virando sinônimo de porcalhão. Quantos sujismundos existem em Rio Branco. Quantos porcalhões…

O tanto de lixo que boiam a cada chuva, o tanto de entulhos que entopem as bueiras só mostram o quanto nós ainda temos que mudar. Mudar os maus hábitos. Tudo o que não presta é jogado nas ruas, nos terrenos baldios, nos córregos e igarapés. E até nos rios.

Isso, além de ser um crime, é um péssimo exemplo para a juventude e para as crianças.

Quando um adulto abre o vidro do carro e joga o papel de uma bala ou uma lata de refrigerante no meio da rua, o filho que está com ele assiste aquilo como se fosse normal, correto. E vai fazer o mesmo.

Não é difícil ver restos de refrigeradores, pneus de carros e outros objetos jogados no meio das ruas e dentro de canais e esgotos.

Tudo isso contribui para o aumento do grande problema de alagamento em residências, comércios e nas ruas da cidade. E a proliferação de vários tipos de doenças. Um transtorno que poderia ser evitado se as pessoas tivessem mais educação e bom senso.

Sabemos que se maioria dos prefeitos que passaram pela prefeitura de Rio Branco tivessem cuidado mais da cidade, não estaria acontecendo esses grandes desastres que ocorrem hoje, com centenas de famílias vivendo grandes transtornos todas as vezes que cai uma chuva forte.

A prefeita Socorro Neri (PSB) terá muito trabalho com as chuvas que ainda cairão até o começo de fevereiro de 2019. Pelo andar da carruagem, digo, da chuvaragem, muita água ainda vai car do céu, e as coisas podem piorar. Esse problema, que caiu nos ombros da prefeita de Rio Branco, só poderá ser resolvido se a população ajudar. Se continuarem jogando lixo por todos os cantos da cidade, vai ser a mesma coisa daquele fumante que só falta morrer sem ar, mas não para de fumar.

Se a população não se educar, não vai ter prefeito no mundo que resolva a questão do alagamento que hoje atormenta milhares de pessoas na capital acreana. Ele pode implantar as mais modernas técnicas de drenagem que não vai resolver.

Há milhares de anos o homem aprendeu que lixo acumulado e água suja disseminam doenças. E nós, aqui no século XXI ainda não aprendemos isso. Ou somos muito irresponsáveis? Muita gente fala em saneamento – que vem da palavra sanear, e que significa higienizar, limpar tornar saudável. Fala, só fala, mas continua jogando seus bregueços por toda parte da cidade.

Como seria bom se a campanha do Sujismundo voltasse às escolas e à todas as residências. E que todas as crianças aprendessem a cantar:

“Que cidade bem cuidada
Fica a rua até brilhando
Não se vê mais na calçada
Sujismundo caminhando…
Água nele! Água nele!
Sujismundo vem ai…
Sujismundo dó, dó
Sujismundo dó, dó
Ele lá, ele lá e eu aqui

Tudo está tão bem limpinho
Agradando a todo mundo
Um exemplo bem certinho
Para o tal de Sujismundo
Àgua nele! Água nele!
Sujismundo vem ai…
Susjismundo dó, dó,
Sujismundo dó dó,
Ele lá, ele lá e eu aqui!”

Não sei se hoje essa campanha dos anos 70 funcionaria. Mas eu cantei muito isso. E aprendi muito sobre higiene cantando a musiquinha do Sujismundo. Aprendi a jogar lixo no lixo. Isso foi uma das coisas mais importantes que aprendi na vida E ensinei isso aos meus irmãos mais novos e aos meus filhos.

E quero pedir a todos que amam Rio Branco: vamos ajudar a cuidar da nossa cidade. Limpe a frente da sua casa, jogue lixo no lixo, não queime entulhos. Rio Branco é a nossa casa. Vamos manter as coisas em ordem para vivermos melhor e garantir um futuro melhor às gerações que estão vindo.

 

Outras Notícias

Veja Também