Rio Branco, Acre,


Jornalista mostra luta de castanheira com mais de 30 anos para sobreviver após queimadas no AC

"Embora protegidas por lei, elas seguem sendo sacrificadas pelos desmatamentos e queimadas", escreveu o jornalista

O jornalista Altino Machado usou as suas redes sociais para expressar com muita tristeza um fato que considera também revoltante: o “sacrifício” de uma castanheira que ele conhece há pelo menos 37 anos e que teve parte de seu tronco corroído pelas queimadas, na Área de Proteção Ambiental Raimundo Irineu Serra.

Neste ano, de forma surpreendente, após uma intervenção do Corpo de Bombeiros, a árvore conseguiu se recuperar e até produzir frutos – a última safra, é o que acredita Altino.

PUBLICIDADE

“Há dois anos, com ajuda do Corpo de Bombeiros, apagamos o fogo que corroía a base de seu tronco como um câncer. Ela se recuperou e até produziu mais frutos. A safra deste ano talvez tenha sido a última”, escreveu. “Triste, revoltante. Dá vontade de desistir. Faz 37 anos que conheço esta jovem castanheira, na margem esquerda da estrada da Área de Proteção Ambiental Raimundo Irineu Serra”, continuou.

O jornalista fez algumas imagens, antes e depois da tragédia, da magnífica árvore que é símbolo da Amazônia.

“Embora protegidas por lei, elas seguem sendo sacrificadas pelos desmatamentos e queimadas, incluindo em áreas da periferia urbanas”, concluiu.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up