20 C
Rio Branco
8 maio, 2021 9:37 pm

Mãe de Henry citou instalação de câmera dois meses antes de alerta de agressões de Dr. Jairinho

A informação foi recuperada no celular da professora pela Polícia Civil

POR EXTRA

Uma mensagem no bloco de notas no telefone celular de Monique Medeiros da Costa e Silva mostra a vontade da professora em instalar uma câmera de monitoramento no apartamento 203 do bloco 1 do condomínio Majestic, do Cidade Jardim, onde ela morava com o namorado, o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (sem partido), e o filho, Henry Borel Medeiros, de 4 anos. A informação foi recuperada no celular da professora pela Polícia Civil, consta no inquérito que apura a morte do menino e foi obtida com exclusividade pelo Globo. O casal está preso e é investigado pelo crime.

O texto, escrito às 2h46 de 30 de novembro de 2020, diz: “Colocação de câmera dentro de casa assistindo do celular”. Como O Globo mostrou na última quinta-feira, durante a perícia complementar realizada no imóvel, em 29 de março, policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca) encontraram uma câmera dentro da caixa no quarto de Henry, que morreu 21 dias antes. O equipamento também foi citado por Monique depois que ela recebeu uma videochamada em que o filho e a babá Thayna de Oliveira Ferreira narraram agressões de Jairinho.

No depoimento prestado na delegacia pela cabeleireira que atendia a professsora no momento da ligação, por volta de 16h30 do dia 12 de fevereiro, em um salão de beleza da Barra da Tijuca, ela informou que ela hidratava e escovava o cabelo e fazia manutenção da unha de acrigel e embelezamento de pés e mãos quando recebeu uma ligação de Henry. Na chamada de vídeo, o menino, chorando, perguntava se a atrapalhava, contava da briga com Jairinho e pedia que a mãe fosse para a casa.

Leia mais em EXTRA, clicando AQUI.