30.3 C
Rio Branco
25 julho, 2021 12:25 pm

Mulher de serial killer de Goiás diz esperar que ele se entregue: ‘Temos medo de receber a notícia de que ele morreu’

Jovem de 19 anos contou estar em estado de choque, em entrevista ao jornal 'Correio Braziliense'

POR O GLOBO

Mãe de uma menina de 2 anos que teve com Lázaro Barbosa Sousa, o homem que é procurado há nove dias pelas polícias de Goiás e do Distrito Federal, uma jovem espera que ele se entregue às autoridades. Em entrevista ao jornal “Correio Braziliense”, ela, que tem 19 anos, contou estar estarrecida com os crimes dos quais o companheiro é suspeito — as mortes de quatro pessoas da mesma família no DF e de uma em Goiás — e diz temer que Lázaro, tido como um serial killer acabe morto:

— Temos medo de receber a notícia de que ele morreu.

Ela, que pediu para não ser identificada, e o suspeito estão juntos há quatro anos. A jovem contou que a filha vem chamando pelo pai, que sempre foi presente, diariamente.

— É um bebê que quase todos os dias chama por ele. Isso me corta tanto. Ela é muito apegada. É a vida dele. Está todo mundo arrasado — relatou.

Os dois se conheceram graças a uma tia de Lázaro. A jovem contou que o suspeito já tentou deixar a vida de crimes e se diz decepcionada com o comportamento dele. Segundo ela, pessoas próximas gostariam de participar das buscas para conversar com Lázaro:

— Se a gente tivesse a oportunidade de ir com a polícia para o meio do mato, para convencê-lo a se entregar. A gente não sabe o que aconteceu na mente e no coração dele. A ficha não caiu.

A jovem rebateu informações de um suposto envolvimento do companheiro com satanismo e alegou que Lázaro tem “uma fé em Deus muito grande”.

— Não acredito em nenhum ritual. Ele tinha uma fé em Deus muito grande, foi até pregador no presídio. Eu só vou acreditar que ele se envolveu mesmo nisso quando ele for pego e falar — disse.

Lázaro é procurado numa região rural em Cocalzinho, em Goiás. A força-tarefa montada para buscar o suspeito mobiliza 200 agentes, helicópteros, cães farejadores e drones, além da cavalaria.

Leia mais em O Globo, clicando AQUI.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.