25.3 C
Rio Branco
21 julho, 2021 12:28 pm

Covid: Como vacinação em massa desde janeiro teria mudado rumo da pandemia no Brasil

Quase 130 mil vidas poderiam ser salvas em 2021 se o Brasil tivesse iniciado uma campanha massiva de vacinação contra a covid-19 ainda em janeiro

POR BBC NEWS BRASIL

Essa é uma das conclusões de um trabalho assinado por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que realizou essas contas no final de fevereiro.

O assunto voltou aos holofotes nos últimos dias, em razão dos depoimentos da CPI da Covid e das denúncias de corrupção nas negociações de compras de vacinas.

Em 24 de junho, o epidemiologista Pedro Hallal, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), declarou no Senado Federal que “o atraso na compra das vacinas da Pfizer e da CoronaVac resultou em 95,5 mil mortes”.

“Outros pesquisadores, usando um método inclusive mais robusto que o nosso, estimaram 145 mil mortes especificamente pela falta de aquisição de vacinas tempestivamente pelo Governo Federal”, disse o pesquisador na CPI.

No dia seguinte, a sessão que ouviu os irmãos Luis Miranda (DEM-DF), deputado federal, e Luis Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde, foi marcada pelo detalhamento das acusações de pressão para compra de vacinas que sequer haviam finalizado os estudos clínicos, enquanto a negociação de imunizantes de outros fornecedores se arrastou por semanas ou até meses.

Nos últimos dias, o jornal Folha de S.Paulo revelou um novo episódio, em que um suposto representante de uma empresa americana afirma que funcionários do Ministério da Saúde teriam “cobrado” um extra de US$ 1 (R$ 5) por dose para fechar a compra de 400 milhões de unidades da vacina da AstraZeneca.

Diante de tantos fatos, vem a pergunta: o que poderia ter acontecido com a pandemia no Brasil se a aquisição de vacinas tivesse sido feita sem atrasos e percalços, para que a campanha se iniciasse com antecedência?

Os cálculos indicam que muitas vidas poderiam ter sido salvas.

Leia mais em BBC News Brasil, clicando AQUI.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.