23.9 C
Rio Branco
24 novembro 2021 8:06 pm

Famílias recorrem a fogão a lenha após gás chegar a R$ 135: ‘Estou botando os meninos pra procurar madeira’, diz diarista

Diarista Sandra Josino, de Cacoal, diz que ganha R$ 100 por semana para uma família de 5 pessoas e, por isso, adotou fogão a lenha no início da pandemia. Atualmente, gás consome quase 10% do salário mínimo das famílias

POR G1

Última atualização em 21/10/2021 15:35

O preço do gás de cozinha já consome quase 10% do salário mínimo das famílias rondonienses, segundo uma pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Com o alto valor, a procura por fogão a lenha e a carvão cresceu no estado.

Em algumas cidades de Rondônia, o gás já está sendo comercializado a R$ 135, como é o caso de Cacoal (RO).

A diarista Sandra Josino, moradora de Cacoal, contou à Rede Amazônica que está usando fogão a lenha para preparar as refeições desde o início da pandemia, quando o preço da botija de gás começou a subir.

“A gente não tá trabalhando, o que faz é uma ‘diarinha’ aqui, outra ali. A dificuldade é muita porque a gente ganha R$ 100 por semana para uma uma família de 5 pessoas. É complicado”, conta.

Segundo a diarista, a única solução encontrada foi cozinhar as comidas que usam mais gás no fogão a lenha.

“Quando cozinha para a família e vem os netos, tem que fazer tudo em panelão, e o fogão a gás não dá. Estamos botando os meninos pra ir procurar madeira. Nosso refúgio é o fogão a lenha mesmo. E aqui na região quase todo mundo está enfrentando fogão a lenha porque está muito caro o gás”, explicou.

Leia mais em G1, clique AQUI! 

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.
Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!