24 de maio de 2024

”Foi a primeira vez que aconteceu”, diz delegado vítima de racismo dentro de delegacia no Acre

O Delegado Titular da 2ª Regional de Polícia Civil do Acre, Samuel Mendes, foi vítima de racismo na manhã desta terça-feira (3) durante atendimento dentro da delegacia.

O crime foi cometido por um idoso, que estava no local para registrar uma ocorrência. Ele então foi encaminhado para a sala do titular, onde lá, ao encontrar Mendes, informou desejar falar com o delegado. Apesar de Mendes informar que ele era o delegado em questão, o idoso insistiu que queria falar com o responsável, “um delegado branco”, disse o autor do crime.

Então, o delegado Samuel Mendes deu voz de prisão ao homem e informou que ele seria encaminhado para a delegacia de flagrantes. “Foi a primeira vez que isso aconteceu, nesses 11 anos de delegado. A minha reação foi tranquila, por se tratar de um ambiente laboral, mantive o profissionalismo, informei que ele receberia voz de prisão e seria conduzido até outra delegacia”, conta Mendes.

O idoso responderá em flagrante pelo crime de racismo, que consta no artigo 20 da lei 7.716/89, conhecida como Lei do Racismo, que criminaliza “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”.

O delegado conta que nesse tipo de crime, o principal elemento de prova é a prova testemunhal. “Na hora ele disse aquilo diretamente pra mim, depois ele proferiu algumas palavras que em tese ratificou o que ele havia falado antes, isso já na presença de outras pessoas, principalmente ao pedir desculpas pelo que havia falado anteriormente. Um pouco antes, ele afirmou que não lembrava o que falou, que havia tido covid e tinha dificuldades para se lembrar”.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost