22 de fevereiro de 2024

Homem fica só de cueca após ser assaltado 2 vezes em uma hora; vídeo

Segundo a polícia, os crimes aconteceram em um curto intervalo. A vítima é mototaxista, foi assaltada duas vezes e ficou só de cueca

imagem colorida homem cueca assalto ceara

Reprodução

Um homem foi vítima de dois assaltos e um atropelamento, além de ter sido ameaçado e forçado a ficar só de cueca, em uma rua de Fortaleza. Tudo isso em um curto espaço de tempo, menos de uma hora. A situação aconteceu na madrugada de terça-feira (24/10), e a vítima, que é motociclista de aplicativo, teve o celular, a mochila e o capacete que fornecia aos passageiros levados pelos criminosos.

O primeiro crime aconteceu no bairro Antônio Bezerra, quando ele teve os objetos roubados, inclusive a moto. Cerca de uma hora depois, quando voltava para casa a pé, ele foi atropelado por outros criminosos. Na segunda situação, ele acabou ameaçado com uma faca e deixado apenas de cueca. Câmeras de segurança registraram o momento. Veja:

Em entrevista à TV Verdes Mares, o motorista, que prefere não se identificar, diz que procurou ajuda de pessoas próximas e de forças de segurança, mas não obteve socorro. “De repente, apareceu um rapaz armado com pistola e foi anunciando o assalto. Nesse assalto, levaram minha moto, um dos capacetes, aparelho celular e minha mochila. Fiquei desesperado”, lembra.

“Como se não bastasse, eu peguei a Rua Anário Braga [Antônio Bezerra] a pé e, pela segunda vez, fui assaltado, desta vez, atropelado. Os assaltantes me pediram o celular e expliquei para eles que não tinha mais porque eu tinha acabado de ser assaltado. Não tinha nada para dar para eles. A única coisa que tinha era o outro capacete que sobrou do primeiro assalto”, disse.

Só de cueca e sem moto

Ainda de acordo com o motociclista, após o atropelamento, ele sentiu dores no corpo, principalmente na perna atingida pelo veículo. Sem a moto, ele avalia como serão os próximos dias, já que era o instrumento de trabalho da sua única fonte de renda.

“Estou machucado na parte de trás da perna. Não conseguia colocar a perna no chão, mas hoje deu uma melhorada. Agora ficou difícil. Essa era única fonte de renda há nove meses e acabou tudo. Vou ter que ver outra coisa, não sei, não parei para pensar no que vou fazer. Não deu tempo para me programar. Esperar o que vai acontecer, ver se a moto aparece. Tenho dois filhos para sustentar”, lamentou.

Polícia Civil do estado informou por meio de nota que apura os dois roubos contra o motorista de aplicativo nos bairros Antônio Bezerra e Quintino Cunha. A pasta disse que as duas ocorrências foram noticiadas mediante boletins de ocorrência.

Os casos distintos estão a cargo do 10º Distrito Policial (DP) e da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFVC), unidades que realizam buscas para tentar identificar os suspeitos.

PUBLICIDADE