12 de abril de 2024

Novela da Globo foi inspirada em sequestro de advogado de Robinho

Inspirado no drama de Pedro Júnior Rosalino, o Pedrinho, Aguinaldo Silva escreveu “Senhora do Destino”, veiculada na TV Globo de 2004 a 2005

Para além da condenação por estupro, o caso do ex-jogador de futebol Robinho voltou a ser muito comentado por um segundo motivo: a equipe de defensores do atleta.

Isso porque um dos advogados do réu é Pedro Júnior Rosalino Braule Pinto. Também conhecido como Pedrinho, a história do jovem, sequestrado de uma maternidade de Brasília poucas horas depois de nascer, foi tão divulgada na época em que aconteceu, que acabou inspirando uma teledramaturgia, conhecida como Senhora do Destino.

Pedrinho foi sequestrado em 1986, na maternidade do Hospital Santa Lúcia, na Asa Sul. Levado para Goiânia, ele viveu 16 anos como filho de Vilma Martins Costa, com o nome de Osvaldo Martins Borges.

Simulando uma gravidez, Vilma sequestrou a criança para forçar o então companheiro, também Osvaldo Martins Borges, a se casar com ela.

A criminosa acabou conseguindo seu objetivo. Ao ver a mulher supostamente grávida, Osvaldo deixou a família e criou Pedrinho com Vilma como se fosse seu filho legítimo.

Em 2002, os pais biológicos de Pedrinho, que moram em Brasília, encontraram o menino.

Inspirado no drama de Pedrinho, Aguinaldo Silva escreveu “Senhora do Destino”, novela veiculada na TV Globo de 2004 a 2005.

Na obra, Maria do Carmo Ferreira da Silva, interpretada por Susana Vieira, tem a filha Lindalva (Carolina Dieckmann) sequestrada por Maria de Nazaré Esteves Tedesco (Renata Sorrah).

Na novela, Nazaré, que era uma prostituta, cometeu o crime para forçar um casamento com José Carlos Tedesco (Tarcísio Meira) e mudar de vida.

Para a empreitada, Nazaré fingiu uma gravidez e, após nove meses, roubou Lindalva dos braços de um irmão da menina e a apresentou como Isabel para o marido.

O caso Robinho

Robinho está preso por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ). No dia 21 de março, os ministros validaram, por 9 votos a 2, a sentença da Itália que condenou o ex-atleta a 9 anos de prisão pelo crime de estupro coletivo contra uma jovem albanesa em uma boate de Milão, em 2013.

O ex-jogador de Santos e Atlético-MG sempre negou ter cometido qualquer crime.

Após a decisão do STJ, ele foi preso pela Polícia Federal no bairro da Aparecida, em Santos, e encaminhado para a sede da Justiça Federal na cidade, onde passou por audiência de custódia e seguiu para Tremembé.

Além de Robinho, o complexo de Tremembé é responsável por outros presos envolvidos em casos de grande repercussão, como Alexandre Nardoni, Cristian Cravinhos, Gil Rugai e Lindemberg Alves.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost