25 de maio de 2024

Trump diz que não assinará proibição federal do aborto se eleito

A Suprema Corte do Arizona recuperou uma lei de 1864 para proibir quase que totalmente o aborto no estado

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump afirmou, nesta quarta-feira (10/4), que não irá assinar uma proibição federal para o aborto caso seja eleito. O bilionário deverá concorrer contra o democrata Joe Biden pela Casa Branca neste ano.

Trump foi questionado se assinaria uma proibição nacional do aborto caso fosse aprovada pelo Congresso dos Estados Unidos.

Na segunda-feira (8/4), o ex-presidente norte-americano destacou que a legalização da interrupção da gravidez deve ser tomada pelos estados. Ele frisou ser a favor do aborto em casos de estupro, incesto e risco de vida para a gestante.

Aborto no Arizona

A Suprema Corte do Arizona decidiu, nesta terça-feira (9/4), que o estado deve aderir a uma lei de 160 anos, que proíbe totalmente o aborto (exceto nos casos em que é necessário salvar a vida da grávida).

A lei, aprovada em 1864, no Arizona, decidiu que a interrupção da gravidez é um crime punível com dois a cinco anos de prisão.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost