Patriotas propõe desafio e Coronel Ulysses pode ser candidato ao governo 2018

“Chega de assistir partido após partido explorar tudo que o Acre tem de valor e não repassar isso ao povo”, disse o militar

Em uma entrevista concedida à reportagem da ContilNet na tarde desta quarta-feira (11), a direção regional do Patriotas confirmou o convite feito ao Coronel Ulysses para disputar as eleições para governador do Acre em 2018.

A presidente do partido no Acre, Dayanna Menezes confirmou que o convite foi uma ideia não só dos líderes regionais da sigla, mas como também foi avaliado e recomendado pelo próprio deputado federal Jair Bolsonaro. De acordo com Dayanna, o partido compreende que para executar o plano de lançar candidatos a governador em todos os Estados do Brasil é de extrema importância que os perfis dos postulantes sejam semelhantes ao do presidenciável Bolsonaro.

Cel. Ulysses ao lado do deputado Jair Bolsonaro/Foto: Arquivo Pessoal

“Ulysses e Bolsonaro têm ideias de gestão, administração e metas muito semelhantes. Claro que cada um deles se expressa à sua maneira, mas o mais importante é que o perfil de Ulysses agrega o que o Patriotas crê que seja a solução para a crise em que o país se encontra: pulso e coragem para mudar o necessário”, disse a presidente.

Durante a entrevista concedida exclusivamente à ContilNet, Ulysses confirmou que realmente recebeu o convite e que vê com bons olhos a possibilidade do que ele chamou de um sonho, que seria administrar o Estado e vê-lo crescer 20 anos em 4, sem qualquer utopia.

“Fiquei extremamente lisonjeado com o convite e confesso que me identifico muito com as ideias que Bolsonaro apresenta para esse Novo Brasil que tanto almejamos. Chega de assistir partido após partido explorar tudo que o Acre tem de valor e não repassar isso diretamente ao povo acreano. É hora de ouvir o povo de perto e tomar as medidas necessárias para realinhar o Acre em direção ao progresso”, afirmou o coronel.

Confira tópicos da entrevista de Ulysses à ContilNet:

Economia

“O Estado está afogado em dívidas e boa parte desse mérito se deve a tal ‘Política de Florestania’ do atual governo. É necessário abrir o mercado acreano para novos capitais. Quase um milhão de hectares protegidos por leis ambientais, por que não reduzir isso pela metade e incentivar o agronegócio no Estado? Uma outra ideia seria abrir o mercado para 20 multinacionais e conceder vinte anos de isenção com o compromisso de gerar 20 mil novos empregos no mercado. Trabalho faz a economia girar e dignifica o cidadão, que sai de uma condição miserável e encontra maneiras de caminhar com as próprias pernas. Isso tem uma influência direta na criminalidade e no número de pessoas passando necessidade nas ruas das cidades acreanas.

“Trabalho faz a economia girar e dignifica o cidadão”, diz coronel/Foto: Arquivo Pessoal

Educação

“O Estado é completamente capaz de viabilizar a criação de pelo menos 10 escolas militares e essa é uma das saídas que eu vejo como primordial para viabilizar educação de qualidade e ensino de valores à juventude acreana. A plataforma política apresentada pelo Patriotas traz em seu planejamento a criação de cinco escolas militares na Capital e cinco no interior, reutilizando estruturas que o Estado já detém e as reaproveitando para oferecer o que a juventude precisa: Ensino de verdade”.

Segurança

“O ponto crítico desse atual governo, o que torna extremamente necessário que medidas emergenciais sejam tomadas. A população hoje passa por um sentimento de insegurança constante. É de extrema importância a contratação de pelo menos 2500 efetivos da Polícia Militar para poder realmente suprir todos os programas de enfrentamento, contenção, conscientização e a guerra contra as facções criminosas. Precisamos colocar na liderança das polícias pessoas de extrema competência e experiência de campo, que passem confiança às tropas. Se um dia eu chegar a ser governador, quero deixar claro que serei o primeiro governador do Brasil que não ficará em gabinete e andarei em frente as nossas tropas. Porque é isso que um governador precisa ser, um chefe de comando”.

Presídios

“A palavra aqui é privatização. É hora de tirar essa fatura da mão do Estado e deixar que empresas escolhidas por competência façam a gestão das unidades prisionais. Obviamente monitoradas pelo governo para manter padrões de segurança necessários, mas é seguro dizer que a privatização nesse caso aumenta a qualidade do monitoramento, propõe treinamentos e atualizações aos agentes e permite que o Estado possa focar a atenção em outras áreas críticas da gestão. A realidade dos presídios precisa ser drasticamente alterada, nós gastamos R$ 750 bilhões em investimentos na Segurança do Brasil, para combater o crime, acabar com o tráfico e encarcerar criminosos. No entanto, gastamos quase R$ 1 trilhão para manutenção dos presídios brasileiros. A prisão precisa ser vista como punição e não como um hotel cheio de regalias”.

“Um gênio e popstar. Bem recebido por multidões em todos os lugares do Brasil”, disse Ulysses sobre Bolsonaro

Possíveis adversários

“Não me preocupo com eles, preocupo-me com o povo acreano, este sim vem sofrendo com gestões desastrosas que impedem que o Acre exerça todo o potencial que realmente tem. Se caso venhamos aceitar o convite, não nos considero uma terceira vertente, somos a primeira, melhor e mais preparada. O Patriotas tem metas, planejamento e foge da utopia de planos de governo com milhares de páginas. São quatro anos, mas que podem representar vinte se bem trabalhados”.

Outras possibilidades

“Olha, eu ando pensando com muito carinho nessa possível candidatura ao governo, mas caso isso não venha a ser viabilizado, confesso que gostaria muito de ser deputado estadual. Federal não serve para mim, eu preciso ficar perto do meu povo, preciso ouvir deles o que eles precisam, do que eles sentem falta e quais caminhos eles esperam para o nosso Estado. Em Brasília é muito ausente esse contato, eu quero ficar aqui ao lado dos meus”.

Bolsonaro

“Um gênio e popstar. Bem recebido por multidões em todos os lugares do Brasil, que foi e o único presidenciável que realmente mostra um plano, traz com ele a mudança e o choque que a nação precisa para sair desse período de aceitação à corrupção. Bolsonaro é um ‘basta’ e no momento em que mais precisamos. Sabe o que precisa mudar, tem coragem para fazer e falar o que é necessário, defende a família brasileira, sabe da importância da Segurança para população. É exatamente a mudança que o Brasil precisa”.

comentários

Veja também