Revoltado com esgoto, morador promete obstruir rede e espalhar fezes em bairro de Rio Branco


“O ex prefeito Marcus Alexandre veio aqui. Tomou até meu café. Fizeram fotos e tudo", recama o morador

SALOMÃO MATOS, PARA CONTILNET

Cansado de reclamar e esperar pelo poder público e nada ser resolvido, o morador Gleison Aguiar que reside paralelo às ruas União com a Boa Ventura, no bairro Vitória, diz estar disposto a entupir a rede principal de esgoto para chamar a atenção das autoridades sobre as fezes que jorram bem em frente de sua casa.

“Há mas de um ano estou esperando que seja tomada uma providência em resolver o problema desse esgoto no portão da minha casa. Minha paciência já está chegando ao fim. Vou comprar uma carrada de barro e colocar dentro desse esgoto e não quero ninguém na minha porta falando bobagem porque só eu que sei o mau cheiro que está saindo desse esgoto”, desabafa.

Esgoto oferece risco até mesmo para pedestres e condutores /Foto: ContilNet

Segundo Gleison, há algum tempo foi pessoalmente falar com o ex prefeito Marcus Alexandre reclamar sobre o problema e muito embora Alexandre tenha ido pessoalmente no local e prometer que o esgoto seria desentupido, a situação permanece do mesmo jeito.

“O ex prefeito Marcus Alexandre veio aqui. Tomou até meu café. Fizeram fotos e tudo. Disseram que vinham arrumar e nada”, lamenta.

Morador diz não aguentar mais esperar providências/Foto: ContilNet

Gleison conta que tem consciência de que obstruindo a rede de esgoto outras famílias serão prejudicadas.
“Vai prejudicar todo o bairro mas infelizmente só assim pra vir a prefeitura resolver o problema pois só eu que estou sendo prejudicado e o esgoto não é só meu é do bairro todo. Tem fezes aqui de todos os moradores então não vou pensar duas vezes vai ser tudo entupido infelizmente. Os meus vizinhos e moradores que me perdoem mas vou ter que fazer isso”, garante.

Uma outra vizinha, que mora na mesma rua diz que a esperança dos moradores é que a nova prefeita olhe por eles. “Ela tem feito um bom trabalho e esperamos que isso chegue até aqui”, afirmou dona Maria Lima, de 40 anos.

A nossa reportagem tentou contato na Secretaria de Obras Públicas para falar sobre o assunto mas até o fechamento desta edição não obtivemos êxito.

comentários

Outras Notícias

Veja Também