Sem receber repasses do Estado há mais de dois meses, Hospital das Clínicas pode suspender cirurgiasde


Em dois meses, a Sesacre deixou de repassar ao hospital cerca de R$ 4 milhões

SAIMO MARTINS, DO CONTILNET

O Hospital das Clínicas, antiga Fundação Hospitalar do Acre (Fundhacre), corre o risco de fechar as portas nos próximos dias devido um possível “calote” por parte do Governo do Estado do Acre. O Portal ContilNet recebeu, nesta terça-feira (27), uma denúncia alertando sobre a situação caótica em que se encontra a instituição. Conforme repassado pelo denunciante, a Secretaria de Saúde do Estado do Acre (Sesacre) não vem repassando os recursos há cerca de dois meses.

O Hospital é uma fundação pública que, apesar de faturar um valor considerável em procedimentos de alta e média complexidade nos vários setores assistenciais, não recebe repasse financeiro direto do Ministério da Saúde. “Os repasses caem no fundo estadual, ou seja, são repassados para Sesacre, que repassa mensalmente apenas, em torno de 1/3 do que produz. Acontece que, mesmo esse valor defasado e insuficiente para manutenção desse hospital de alta complexidade, deixou de ser repassado nos últimos dois meses, deixando os fornecedores sem pagamento e o hospital prestes a fechar”, ressaltou.

Hospital das Clínicas/Foto: Reprodução

Consequências

Conforme relatado, já começam as consequências com a falta de muitos medicamentos e materiais hospitalares, e “a redução das cirurgias e suspensão dos transplantes”. Em dois meses de falta de repasses, o débito já chega à R$ 4 milhões. Ou seja, em cada mês, a Sesacre deveria repassar algo em torno de R$ 2 milhões ao HC, para que o órgão pudesse quitar os débitos com os fornecedores.

“Esse valor é o suficiente para a compra de medicamentos, antibióticos, alimentação e outros insumos necessários aos pacientes que estão internados”, frisou a fonte anônima.

Devido à falta de repasse, alguns serviços podem parar por falta de pagamento, como: recolhimento de 150 computadores, que são alugados, combustível, gás de cozinha, serviço de limpeza e máquinas da hemodiálise locadas. “Os reflexos também seguem na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), que já sofre com a falta de muitos itens, colocando em risco a vida dos pacientes que estão internados em estado grave.

Em contato com um servidor público que atua no local, os funcionários da parte administrativas já foram orientados a ‘limpar as máquinas’. “Estamos limpando os computadores, retirando arquivos e documentos pessoais, pois a empresa que alugou os computadores pode, a qualquer momento, recolher o material”. Questionado sobre quais as consequências do HC ficar sem computadores, o funcionário foi enfático: “Tudo é feito no sistema, nada mais é manual. Marcação de exames, entregas, agendamentos de retorno médico, emissão de cartão do hospital e do SUS”, informou o servidor que não quis se identificar.

Resposta Sesacre

Em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde do Estado do Acre (Sesacre), fomos informados que o órgão não tem conhecimento do caso, tendo em vista que “a Sesacre e o Hospital das Clinicas é um só”.

“A Secretaria de Saúde está tomando as providências necessárias para garantir a continuidade de todos os serviços”, destaca a nota.

comentários

Outras Notícias

Veja Também