Rio Branco, Acre,

Educação nos presídios: professores passam por capacitação

O programa EJA, modalidade de ensino que envolve todos os níveis da Educação Básica do país, é destinado aqueles que não tiveram acesso à educação na idade apropriada

Com a aproximação do início das aulas no Sistema Penitenciário, o Governo do Estado do Acre, por meio do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), em parceria com a Secretaria de Estado de Educação, realizou uma capacitação com 12 professores que irão ministrar as aulas nos presídios na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA). A capacitação ocorreu nos dias 02 e 03 na escola do Complexo Penitenciário de Rio Branco e no Centro Integrado de Ensino e Pesquisa em Segurança Pública (Cieps).

capacitação ocorreu nos dias 02 e 03 na escola do Complexo Penitenciário de Rio Branco e no Centro Integrado de Ensino e Pesquisa em Segurança Pública/Foto: ascom

O assessor Pedagógico do EJA da Secretaria de Estado de Educação, Jessé Dantas de Souza, explicou que a formação pedagógica dos profissionais envolve o planejamento, o perfil profissional e a importância do EJA na reintegração social. “Nós buscamos garantir uma educação com qualidade e equidade para os reeducandos, que respeite os diferentes níveis de conhecimento”, disse.

O programa EJA, modalidade de ensino que envolve todos os níveis da Educação Básica do país, é destinado aqueles que não tiveram acesso à educação na idade apropriada. Ele possibilita o retorno aos estudos e a conclusão em menos tempo, o que oferece aos seus egressos melhores oportunidades no mercado de trabalho.

Souza ressaltou, ainda, que o professor tem um papel fundamental na garantida do direito à educação. “Os presos estão privados da liberdade, mas têm os direitos de cidadão garantidos”, afirmou.

A coordenadora de Educação do Iapen, Helena Guedes, ressaltou que além da formação pedagógica, os professores receberam orientações voltadas ao ambiente do Sistema Prisional. “Serão ministradas aulas sobre as rotinas prisionais, regras e procedimentos de segurança e os cuidados que os professores devem seguir para trabalhar dentro do presídio”, disse.

Guedes destacou que o público discente nos presídios é específico e que possui características e peculiaridades inerentes ao ambiente prisional. “Os professores precisam saber o tipo de comportamento que eles podem ter, as regras de segurança e as rotinas dentro do Sistema, o que vai influenciar diretamente no trabalho deles, no fazer pedagógico e no aprendizado do aluno” concluiu.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários