30 C
Rio Branco
21 abril, 2021 4:49 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Mesmo contra lockdown de 14 dias, Gladson chamou prefeitos para ‘dividir o fardo’ da decisão’

POR RORAIMA ROCHA, DO CONTILNET

DIVIDINDO A RESPONSABILIDADE

Agora o moído vai ser grande. Com a recomendação do Ministério Público do Estado para que o Governo endureça as regras do lockdown por 14 dias, Gladson mais uma vez está no meio do fogo cruzado. Ele já disse que é contra a medida, mas fez um movimento correto, vai consultar os prefeitos e ouvir a opinião deles. É bom que o governador corra pois o prazo para resposta se esgotará em 48 horas.

FISCAIS

Se tem coisa que governantes e gestores públicos em geral temem são os Ministérios Públicos Estadual e Federal. Quando eles aparecem, normalmente é problema. Mas cumprem um papel que é fundamental, de defesa da ordem jurídica e dos interesses da sociedade.

SEGUNDA DOSE

Mais 22 mil doses de vacina contra a Covid-19 desembarcaram no Acre nesta quinta-feira, 1. Desse montante, mil serão destinadas para imunização de profissionais da Segurança Pública, uma promessa que o governador Gladson Cameli fez às categorias e que pelo visto irá cumprir. Ao contrário do prefeito de Epitaciolândia, delegado Sérgio Lopes (PSDB), que vacinou policiais “na tora”, Cameli fez o pedido ao Ministério da Saúde, que autorizou a antecipação.

MAIS OXIGÊNIO

Além dos imunizantes, o Governo do Estado ampliou de seis para doze o número de usinas de oxigênio nas unidades de Saúde do Estado. Ninguém pode apontar o dedo na cara do secretário Alysson Bestene e dizer que está assistindo a tudo e dando milho aos pombos. Ele está trabalhando!

CAÇA-LIKE

A comunicação da Prefeitura não economizou no apelo, botou até o prefeito Tião Bocalom para carregar geladeira ao anunciar que, em parceria com a Energisa, 72 refrigeradores foram entregues para famílias vítimas da alagação. O velho Boca amanhã vai acordar todo escambichado.

SERVIÇO FUNDAMENTAL

Talvez um dos trabalhos mais bonitos que o Estado faz é por meio da Defensoria Pública, como está escrito em nossa Constituição: prestar assistência jurídica integral e gratuita a todas as pessoas que mais precisam. Mas além desse dever principal, o órgão promove cidadania em outras frentes.

EMENDA PARLAMENTAR

A defensora pública-geral do Estado, Drª Simone Santiago, recebeu a senadora Maílza Gomes (Progressistas) na sede da DPE, e esta levou uma boa notícia, R$ 300 mil para o projeto Defensores do Futuro, que realiza um trabalho social com crianças e jovens buscando aproximar a instituição das comunidades, além de oferecer serviços sociais, atendimento psicológico e jurídico a estudantes da rede pública de ensino. Ponto para a Senadora e para a DPE, mas quem ganha é a sociedade.

NOME FORTE

Um passarinho me soprou que o advogado e pecuarista Eduardo Ribeiro poderá mesmo ser candidato em 2022. O grupo político do pedetista só não decidiu ainda se será para deputado estadual ou federal. Uma coisa é certa: ele é extremamente competitivo. Ribeiro é preparado tecnicamente, tem experiência administrativa, é muito bem relacionado e nas eleições de 2020 mostrou que sabe fazer campanha. Anotem!

NA PONTA DA DISPUTA

Aliás, PDT e Progressistas devem ter duas das chapas mais fortes para a Assembleia Legislativa no ano que vem. Ambos partidos vêm fazendo o dever de casa na base, e são comandados por líderes que conhecem o métier quando o assunto é formação de chapa.

DIPLOMACIA EM FRANGALHOS

Esta semana, logo após a demissão do chanceler brasileiro Ernesto Araújo, escrevi uma nota para esta coluna comentando sobre o frangalho que se encontra a diplomacia do país. Na entrevista de hoje, 1, para o jornalista Reinaldo Azevedo, o ex-presidente Lula comentava sobre a nova indicação para o Itamaraty e disse algo que resume bem como o Brasil é visto além de nossas fronteiras, “Já mandei recado pro Joe Biden (presidente dos EUA), pro Emmanuel Macron (França), pra Merkel (Alemanha) e pro Xi Jinping (China). Essa crise é uma guerra contra a humanidade e a única solução é a vacina. Esses governantes precisam se reunir. Lamentavelmente ninguém quer conversar com o Bolsonaro.