25.3 C
Rio Branco
26 setembro 2021 10:15 am

Justiça aceita denúncia e suspeito de assassinar com golpes de faca comerciária do Acre vira réu

Promotor diz que Hitálo Gouveia matou Adriana de forma cruel, asfixiando até a morte, após esfaqueá-la duas vezes

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

Última atualização em 04/08/2021 09:37

O marido e também assassino da comerciária Adriana Paulichen, conhecida como Anna, de 23 anos, morta no último dia 9 de julho, em Rio Branco, Hitalo Marinho Gouveia, de 33 anos, acaba de se tornar réu no processo. O juiz Alesson José Santos, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco, aceitou denúncia do promotor de Justiça Efrain Mendonza, do Ministério Público do Estado do Acre (MP-AC), e voltou a negar novo pedido de liberdade feito pela defesa do acusado.

Na denúncia, o promotor de Justiça apresenta uma série de qualificadoras contra Hitalo Govueia, como por exemplo, esfaquear a vítima pelas costas e a aplicar uma solução final por asfixia, com o estrangulamento até a morte. “Esta vitima teve uma morte horrível, sem nenhuma chance de defesa”, disse Efrain Mendonza.

O crime ocorreu no bairro Estação Experimental, em Rio Branco. Marido da vítima, Híalo Gouveia admitiu uma série de traições e esposa e isso era motivo de briga frequente entre o casal. Numa das últimas brigas, Adriana Paulichen apossou-se de uma faca e acabou esfaqueando o marido, na perna.

No dia seguinte, ele foi ao trabalho da mulher, uma loja de venda de roupas na Rua Senador Kairala e ali houve mais uma briga. Mas, desta vez, quem portava uma faca era Hitalo, que a usou duas vezes, atingindo a mulher com furadas nas costas. Quando ela caiu, ainda respirando, ele a garrou no chão e impediu que ela continuasse respirando.
Após cometer o crime, o assassino ligou para a advogada, que chamou a polícia. Em sua defesa, ele alega que amou a mulher para que ela não matasse o filho do casal, de apenas seis meses, o que a mulher vinha ameaçando no calor das brigas. Ele continua no presídio estadual.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.