25 C
Rio Branco
30 novembro 2021 5:41 pm

Caso Amanda e Tauã: “Penas foram justas e adequadas”, comenta promotor de Sena Madureira

POR EDINALDO GOMES, PARA CONTILNET

Última atualização em 15/10/2021 18:05

As mortes dos adolescentes Amanda Paiva, 14 anos de idade e Tauã Oliveira, 16 anos de idade, registradas no Segundo Distrito de Sena Madureira, não ficaram impunes. Quatro acusados na barbárie foram levados à julgamento nesta quinta-feira (14) e condenados a penas consideradas expressivas cuja soma ultrapassa os 180 anos de prisão.

Nesta sexta-feira (15), em entrevista franqueada à imprensa local, o promotor de justiça Thales Ferreira, da vara criminal, falou sobre o desfecho do julgamento. Para ele, as penas foram justas e adequadas. “O Ministério Público se sente com a sensação de dever cumprido em ter dado uma resposta à sociedade. As vítimas eram adolescentes estudiosos, bons filhos. Esse duplo homicídio refletiu na vida de seus familiares. As penas, em minha análise, foram justas e adequadas”, frisou.

Promotor Thales Ferreira/Foto: O Alto Acre

O duplo homicídio teria sido motivado pela guerra entre facções criminosas. Entretanto, no curso das investigações restou comprovado que as vítimas não faziam parte de facções.

MANDANTE FOI CONDENADO A MAIS DE 60 ANOS

Apontado como o mandante dos crimes, Leonardo de Albuquerque Carvalho, conhecido popularmente como “Cará” recebeu a maior pena: 66 anos, 6 meses e 26 dias de reclusão e 80 dias/multa.
Além dos dois homicídios, o mesmo também respondeu pelos crimes de organização criminosa e corrupção de menores.

PENAS DOS DEMAIS ENVOLVIDOS

Antônio Fagundes Souza de Mendonça: 38 anos, 03 meses e 10 dias de reclusão e 80 dias/multa
Rodrigo Silva Costa, o “De menor”: 38 anos, 03 meses e 10 dias de reclusão e 80 dias/multa
Jucelino da Silva Jesus, conhecido como “Farinha”: 39 anos, 05 meses e 10 dias de reclusão e 80 dias/multa.

Na sentença, o juiz Fábio Farias, da comarca de Sena Madureira, determinou que as penas sejam cumpridas em regime inicialmente fechado e negou aos réus o direito de recorrer em liberdade.

UM CONVITE PRA MORTE

Conforme o apurado pela Polícia, naquele fatídico dezembro de 2019, Amanda e Tauã teriam recebido um convite para participar de uma confraternização no Segundo Distrito de Sena Madureira. Ao se encontrar no local, eles perceberam, em dado momento, que algo de estranho estava acontecendo e decidiram deixar o local. Quando já estavam dentro da catraia pública para atravessar o rio, foram abordados por uma adolescente e convencidos a retornarem pra ‘festinha’. Na verdade, estavam voltando somente para morrer.

A Polícia confirmou que o duplo homicídio foi praticado com requintes de crueldade. Em seguida, os corpos foram enterrados em um matagal no conhecido Beco do bigode, sendo encontrados dias depois por uma equipe da Polícia Militar.

Além dos quatro criminosos condenados na data de ontem, outros dois também foram sentenciados, em datas anteriores, pelo crime de ocultação de cadáver. Jairo Silva de Almeida e Rinaldo Reis Vasconcelos receberam, cada um, 12 anos e 02 meses de prisão, além do pagamento de 602 dias-multa. Também pesou contra os dois, o crime de organização criminosa.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.
Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!