33.3 C
Rio Branco
9 agosto 2022 3:08 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Vídeo: reação assustada de falcão ao ser resgatado comove bombeiro

Especialista em aves de rapina explica que a reação do animal foi de susto. Falcão quiriquiri é o nome popular de falco sparverius, que tem como uma das suas características o tamanho

POR G1

Com o olhar fixo, asas abertas e com um comportamento de rendição, o falcão, da espécie quiriquiri, comoveu o bombeiro militar João Cordeiro. A cena aconteceu durante o resgate da ave, que estava perdida em uma área do Corpo de Bombeiros, em Porto Velho.

CLIQUE AQUI para ver o vídeo.

Falcão quiriquiri é o nome popular de falco sparverius, que tem como uma das suas características, o seu tamanho, já que é uma ave de pequeno porte.

Ao g1, o militar revelou que estava no trabalho quando teve que fazer o resgate da ave e que já recebeu treinamentos para realizar o resgate dessa espécie.

“A gente tem treinamento para realizar resgates de animais silvestres. Ele estava com a asa quebrada e isso facilitou a captura. Ele estava aqui no quartel e quando fui pegar, ele saiu andando por aqui. Foi quando peguei a luva, porque ele tem uma garrinha”, explicou.

A reação de rendição do falcão surpreendeu o militar, que fez o registro no momento do resgate.

“Achei engraçado, porque quando fui pegar ele, foi uma surpresa, ele se rendeu. É no momento em que ele levanta as asas. A gente o levou para o lugar em que vão cuidar dele, pois ele está ferido”.

Segundo Thiago Baldine, especialista em aves de rapina, a reação do animal foi de susto.

” Ele [falcão] estava assustado e por isso teve essa reação. Quando ele vai abrindo as asas, é um comportamento natural das aves de rapina quando estão assustadas. Elas abrem as asas para espantar os predadores. Como o possível predador vai chegando mais perto, ela vai se jogando pra trás para se proteger”, explicou Thiago.

Para quem passar por uma situação parecida, o especialista ressalta que é preciso tomar os devidos cuidados ao fazer o resgate de aves.

“É preciso ter muito cuidado para manusear esses bichos. Chamar um profissional ou um órgão ambiental. As aves de rapina não têm esse osso externo, igual a gente tem, que protege os órgãos internos. Elas têm somente um osso fino no meio do peito e nas laterais é somente músculo. Se pegar de forma errada, pelo peito, e apertar um pouco mais, pode matar o bicho”, finaliza.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.