21 de fevereiro de 2024

Bittar diz que Justiça condena população à pobreza ao bloquear estrada que liga cidades do Acre

Senador afirmou que Justiça estava condenado população de Porto Walter à pobreza

O senador Marcio Bittar (União Brasil) usou as redes sociais nesta quarta-feira (20) para criticar a decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) que culminou na suspensão de qualquer intervenção e o bloqueio do trecho de uma estrada que liga os municípios de Rodrigues Alves e Porto Walter, no Acre. O trecho a ser bloqueado, chamado de Ramal Barbary, fica entre Porto Walter e Cruzeiro do Sul.

Senador Marcio Bittar/Foto Arquivo

O empreendimento é objeto de Ação Civil Pública (ACP) ajuizada pelo MPF e pelo Ministério Público do Estado do Acre (MP/AC), em setembro de 2022, por impactar a Terra Indígena (TI) Jaminawa do Igarapé Preto e se encontrar na Unidade de Conservação de Uso Sustentável Japiim Pentecoste e dentro da área de influência do Parque Nacional da Serra do Divisor (PNSD), uma Unidade de Conservação Integral.

No vídeo, Bittar criticou o pedido do Ministério Público e afirmou que mais uma vez a Justiça está condenando o povo de municípios isolados à pobreza.

“A justiça, provocada por alguém, está condenado o povo de Porto Walter a viver na pobreza, porque se você não pode fazer ponte, estrada e explorar os recursos não tem como tirar a população do nosso Acre da pobreza. É por isso que ao término da CPI das ONG, apresentei uma PEC que permitia apenas a Procuradoria-Geral da República sob supervisão do STF entrar na justiça paralisando obras tão fundamentais para o Acre, Amazônia e o Brasil. Fiquem com Deus”, afirmou.

PUBLICIDADE