20 de abril de 2024

Estudante de medicina do Acre cria empresa para ajudar novos alunos: “Mais de 500 calouros”

Acreana iniciou o 5º período e a conclusão do curso está prevista para 2025

A acreana Mikaelly Paz, que decidiu seguir seu sonho de cursar Medicina em outro país, mora no Paraguai há 4 anos. Isso não é uma realidade muito diferente de outros acreanos, que também procuram outros países para cursar medicina, visto que no Brasil as mensalidades de faculdades particulares têm um alto custo e as universidades públicas contam com grande concorrência. Mas, o que torna Mikaelly diferente é a veia empreendedora que surgiu nela com essa possibilidade de estudar fora.

Mikaelly, que em Rio Branco morava no Conjunto Universitário, foi estudar Medicina na Universidad Central del Paraguay (UCP), em Ciudad Del Este, mas ao chegar lá, percebeu que não seria apenas o idioma que colocaria uma barreira a mais nos estudos, mas também o câmbio da moeda, a moradia e todas as providências que se devem tomar para morar em outro país.

A acreana Mikaelly Paz tem 23 anos/Foto: Reprodução/Redes sociais

Foi nesse momento que Mikaelly começou a dividir a sua rotina com alguns seguidores do Instagram, que tinham cada vez mais curiosidades sobre a vida de uma estudante de Medicina em outro país. A acreana contou ao ContilNet que, na verdade, queria cursar Direito e foi selecionada para ingressar na Universidade Federal do Acre (Ufac), mas, segundo ela, “Deus tinha um propósito maior”.

“Minha irmã já é formada em Medicina em Santa Cruz de La Sierra [cidade boliviana], é médica revalidada, então a gente já sabia como funcionava a medicina no exterior, só que eu optei pelo Paraguai e não pela Bolívia porque sempre ouvimos das pessoas, principalmente do Acre, reclamando dos professores e da forma como eram tratadas. Foi aí que vimos a opção do Paraguai, até porque na Bolívia tem a Prova de Grado, e eu não queria fazer, pois muitos professores vão na intenção de reprovar o aluno, então escolhi o Paraguai”, explicou.

Mikaelly começou os estudos em 2020, no Paraguai/Foto: Reprodução

Segundo Mikaelly, uma prima dela também estudou Medicina no Paraguai e gostou da experiência. “Ela falou que tinha gostado muito e por ser em um país que também faz fronteira, dava um acesso melhor, e até mesmo porque alguns dos professores da UCP falam português, um dos donos da faculdade é brasileiro. Então eu estudei a possibilidade e deixei tudo para trás e vim cursar esse sonho”, disse a acreana, que iniciou o 5º período e a formatura está prevista para 2025.

A acadêmica de medicina contou ainda que quando chegou na UCP, criou uma conta no Instagram para compartilhar a rotina com outras pessoas que poderiam ter interesse em ir para a mesma faculdade. “Fui mostrando como era aqui, como funcionava, então a galera começou a chegar, não só do Acre, como do Brasil inteiro. Eles me perguntavam como funciona para quem queria ir, e eu sempre ia explicando o processo. Desde quando cheguei, já trouxe mais de 500 pessoas. Um foi indicando para o outro”, disse.

Mikaelly já ajudou mais de 500 calouros/Foto: Cedida

Atuarmed

Além de mostrar a rotina de forma mais próxima dos futuros calouros, a acreana também decidiu tornar essa experiência mais rentável e profissional, e com isso, ela criou a Atuarmed, que é uma empresa de captação de calouros, que auxilia em todos os processos necessários para ir cursar Medicina no Paraguai.

“Quando eu percebi que a demanda era muito grande e eu não ia conseguir suportar, eu criei a empresa e ela ajuda o aluno desde o início, do ato de matrícula, até aprender a fazer o câmbio da moeda, trocar o Real pelo Guarani, além de encontrar o apartamento ideal, seja em Foz do Iguaçu ou na Ciudad Del Este, no Paraguai. Até mesmo nos documentos migratórios, nós ajudamos, pois entra a questão do visto e da organização acadêmica, então a gente faz todo o serviço para o aluno e ele fica sossegado até finalizar a faculdade”, explicou.

Mikaelly já ajudou mais de 500 pessoas a se tornarem estudantes de Medicina no Paraguai/Foto: Reprodução

Atualmente, Mikaelly optou por morar na Ciudad Del Este, no Paraguai, para ter mais contato com os paraguaios e facilitar no aprendizado do idioma. Segundo a acreana, os futuros calouros chegam até ela pelo perfil do Instagram e TikTok ou Canal do YouTube. “Nós disponibilizamos o nosso WhatsApp e o cliente informa qual serviço ele quer, pois às vezes o aluno já está matriculado e procura ajuda apenas em outra área, mas também tem alunos que não sabem nada, então a gente ajuda em tudo. Nós começamos o acompanhamento por WhatsApp mesmo, com videochamada, muitas vezes para os pais conhecerem a gente”, disse.

Ao ContilNet, Mikaelly disse que não imaginava que seria vista como referência no Paraguai quando iniciou com os vídeos. “As vezes eu fico surpresa, mas nunca pensei que fosse tomar essa proporção. Com o tempo eu vi que as pessoas foram gostando e eu pretendo continuar depois de me formar, conciliar a Atuarmed com os serviços da Medicina, para continuar contribuindo com os sonhos das pessoas que às vezes não conseguem pagar R$ 10 mil em uma faculdade no Brasil ou que tenta há muitos anos passar no Enem”, ressaltou.

Atualmente, a Atuarmed conta com uma equipe de quatro pessoas, sendo Matheus Brasil, que atua diretamente como assessor imobiliário, Luís Alfredo, no Marketing, Yanna Flores como secretária e a própria Mikaelly, como influenciadora.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost