17 de junho de 2024

Thiago Gagliasso processa Ludmilla por calúnia, injúria e difamação

A coluna descobriu, com exclusividade, detalhes da ação aberta na última quarta-feira (22/5); saiba mais e entenda o caso

O deputado estadual Thiago Gagliasso, irmão do ator Bruno Gagliasso, está processando a cantora Ludmilla por calúnia, injúria e difamação. A ação foi aberta na última quarta-feira (22/5).

De acordo com os documentos, que a coluna Fábia Oliveira teve acesso com exclusividade, a defesa do parlamentar afirmou que ele foi eleito no dia 2 de outubro de 2022, com 102.038 votos, para exercer cargo de Deputado Estadual pelo Rio de Janeiro, e que no dia 1 de fevereiro de 2023, foi empossado, passando a exercer o cargo público para qual foi eleito.

À Justiça, Thiago Gagliasso explicou que, no dia 22 de novembro de 2023, na sessão ordinária da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, foi votado um projeto que concedia a medalha Tiradentes e respectivo diploma à Ludmilla Oliveira da Silva.

Na ocasião, foi discutida a concessão da maior honraria do Poder Legislativo à cantora Ludmilla, tendo Gagliasso votado contrariamente. Ele, então, apresentou a sua justificativa de voto a todos que assistiam a sessão, e teria deixado claro que não teria motivação pessoal, mas divergências ideológicas.

A defesa de Thiago Gagliasso explicou no processo que, ele justificou, abordando fatos notórios que tomaram o noticiário nos dias anteriores à votação, como quando Ludmilla, durante uma apresentação pública, não soube cantar a letra do hino nacional.

De acordo com a queixa-crime movida pelo parlamentar, um dia após a referida votação, no dia 23 de novembro de 2023, Ludmilla publicou na rede social Instagram um story agradecendo aos fãs pelas “mensagens recebidas” e aos deputados que votaram a favor da concessão da Medalha Tiradentes.

No vídeo, segundo a defesa do deputado, a cantora teria afirmado que vinha sendo atacada na internet e que não responderia às ofensas supostamente sofridas, porém, precisava responder especificamente a uma pessoa.

Segundo o processo, Ludmilla teria afirmado que precisava responder a essa pessoa “porque ele foi capaz de fazer um vídeo falando que ele vetou a minha medalha, porque ele não era racista, era por causa da música Verdinha”.

“A crítica à inocente poesia não foi bem digerida pela querelada, tendo ela afirmado que o fato de o deputado Thiago Gagliasso ter ‘vetado’ a medalha não teria sido em razão da música ‘verdinha’, mas porque ele seria: ‘racista’ e ‘racista barra pesada’, ‘racista de merda’”, consta na ação de Thiago Gagliasso.

O irmão de Bruno Gagliasso pediu que Ludmilla seja condenada pelos crimes de calúnia, injúria e difamação, e que a cantora seja condenada a pagar um valor mínimo de indenização.

“Em razão disso, não resta alternativa a não ser o ajuizamento dessa queixa-Crime para buscar a responsabilização criminal de Ludmilla Oliveira da Silva por ter caluniado, difamado e injuriado o querelante no dia 23 de novembro de 2023, por intermédio da rede social Instagram, para mais de 30.000.00 (trinta milhões) de seguidores, gerando graves danos à pessoa pública que é o deputado Thiago Gagliasso, ora querelante”, afirmou à Justiça.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost