Romero Jucá diz que Temer fez ‘mágica’ na economia brasileira: ‘mais do que Mister M e Copperfield’

Ele afirmou também que legado econômico da gestão Temer será uma das 'espinhas dorsais' das campanhas em 2018

O líder do governo no Senado e presidente do PMDB, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou nesta terça-feira (14) que o presidente Michel Temer fez mágica na economia ao longo dos 18 meses em que está à frente do Palácio do Planalto. Em tom de brincadeira, Jucá – que chegou a ser ministro do Planejamento de Temer por uma semana – disse que o peemedebista fez mais mágica na economia brasileira “do que Mister M e David Copperfield”, referindo-se aos famosos ilusionistas.

Jucá deu a declaração ao ser questionado por jornalistas sobre a situação do PSDB, que está dividido sobre a permanência ou não na base governista.

“O presidente Michel Temer fez mágica, fez muito mais do que Mister M e David Copperfield”, brincou Jucá.

O peemedebista acrescentou que o legado econômico de Temer será uma das “espinhas dorsais” das discussões eleitorais em 2018 e que o PMDB “não vai ficar órfão da defesa desse legado”.

Romero Jucá (de terno azul) cumprimenta os senadores Eunício Oliveira e Randolfe Rodrigues em meio à sessão desta terça (14) do Senado (Foto: Geraldo Magela, Agência Senado)

“Se não tiver ninguém para defender [o legado econômico], o PMDB vai lançar candidato à Presidência da República”, projetou Jucá.

Reforma ministerial
Mais cedo, também em entrevista a jornalistas, Jucá afirmou que a saída do tucano Bruno Araújo do Ministério das Cidades precipitou a reforma ministerial que deve ser feita por Temer.

Ele disse ainda que o redesenho da Esplanada dos Ministérios deve acontecer até o fim do ano e que será discutido com os partidos da base aliada de forma a conquistar, no Congresso, votos favoráveis a projetos prioritários para o Planalto.
“É uma reforma ampla. São 17 ministérios que ficarão vagos no prazo que o presidente determinar. Então cabe ao presidente, agora, começar esse processo. Nós temos que ocupar os espaços com bons nomes. Os nomes serão escolhidos pelo presidente, mas ele levará em conta critérios técnicos, políticos e administrativos”, afirmou.

Jucá disse ainda que Temer poderá escolher nomes do PSDB, mas que isso ficará na cota pessoal do presidente e não na partidária.

comentários

Outras Notícias

Veja também