Rio Branco, Acre,


Detrans cobram de Temer participação em decisões nacionais

Nos próximos dias a Associação deve solicitar audiência com o ministro das Cidades, Bruno Araújo

Nos próximos dias a Associação deve solicitar audiência com o ministro das Cidades, Bruno Araújo
Nos próximos dias a Associação deve solicitar audiência com o ministro das Cidades, Bruno Araújo

Os Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) devem pedir ao presidente interino Michel Temer uma maior participação nas decisões nacionais sobre trânsito, mobilidade, segurança viária e formação de condutores. A Associação Nacional dos Detrans (AND), entidade que representa as autarquias, quer mais diálogo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e a indicação de um representante no Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

“Historicamente temos visto a transferência contínua de problemas para os Estados, que não são ouvidos e, na maioria das vezes, são pegos de surpresa com decisões que causam problemas operacionais ou que são revogadas seguidamente. Nós atendemos o cidadão de maneira direta e conhecemos a realidade das nossas cidades e regiões, vamos continuar insistindo para sermos ouvidos”, destacou o presidente da AND e diretor-geral do Detran Paraná, Marcos Traad.

PUBLICIDADE

Nos próximos dias a Associação deve solicitar audiência com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, para apresentar as reivindicações e falar das expectativas para o Denatran, que ainda não teve presidente nomeado.

“Já conversamos informalmente com o ministro e acredito que teremos sim o interesse do novo presidente para as questões dos Estados. Precisamos trazer o Denatran para dentro da AND e nos aproximar da gestão para conseguirmos solucionar, de uma vez por todas, os problemas que prejudicam os motoristas de todo o país”, conta o diretor do Detran do Pernambuco, Charles Ribeiro.

Para o diretor do Departamento de Santa Catarina, Vanderlei Olívio Rosso, além da participação dos Detrans, é preciso ampliar a participação dos municípios. “Temos de ter representantes no Contran, afinal, sequer sabemos das decisões até elas serem divulgadas em Diário Oficial. Estou a mais de 9 anos no Detran e não vejo mudanças neste sentido. Dessa maneira não acredito em solução”, disse.

“O momento de mudança no Governo Federal é oportuno e devemos nos focar nos temas macro, como o exame toxicológico, simuladores, cinquentinhas. Temos de ter prazos definidos e acompanhamento permanente. Hoje o Contran tem representante do Exército, mas não tem dos Departamentos Estaduais e municípios”, completou o diretor do Detran Rondônia, José de Albuquerque Cavalcante.

O vice-presidente da AND e diretor do Detran Alagoas, Antônio Carlos Gouvêia, lembrou da responsabilidade da Associação neste período de crise. “Nesse momento difícil para as instituições dos poderes públicos, as reuniões da AND são estratégicas e temos a missão de debater e propor soluções”, defendeu. (Assessoria)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up