Água com limão? Café com óleo de coco? Será que essas “modas” funcionam?


Boa parte dessas modas que são alardeadas como grandes milagres do emagrecimento ou do ganho de massa muscular não passa de pseudociência

UOL

“Mal não vai fazer”, é o que muita gente pensa ao aderir alguma das “modinhas fitness” que pipocam nas redes sociais e nas matérias sensacionalistas sobre novos métodos de emagrecimento.

É sempre a mesma coisa: do dia para a noite, parece que foi descoberta uma nova promessa que ajuda a nos manter mais tempo saciados, acelerar a queima de gordura, aumentar a massa muscular e por aí vai. “Como assim todo mundo já sabia disso e eu não?”; “Será que funciona?”; “Quanto custa?” –essas são algumas das perguntas que fazemos a cada novidade que aparece.

A questão é que boa parte dessas modas que são alardeadas como grandes milagres do emagrecimento ou do ganho de massa muscular não passa de pseudociência. Sem muitas evidências científicas, acabam tendo adesão popular, graças a pessoas influentes e formadores de opinião. Mas ceder a essas “dicas” fitness que ouvimos por aí, sem consultar um nutricionista, pode colocar sua saúde em risco, fazer com que você gaste dinheiro à toa e, em alguns casos, até fazê-lo engordar.

Separei aqui alguns desses modismos que seria interessante questionar antes de incluir na rotina. Algumas coisas estão nesse “mercado do emagrecimento” há um bom tempo e meu objetivo aqui nem é questionar a eficácia ou não, mas sim alertar que, sem orientação de um nutricionista, tomar coisas por conta própria pode ser inútil e até prejudicial à saúde e ao equilíbrio. Na maioria dos casos, uma reavaliação mais profunda da alimentação e do estilo de vida já é o suficiente para resolver grande parte dos problemas de saúde e de peso. Mas vamos lá:

1. Café com óleo de coco (bulletproof coffee)

Feito de café, manteiga sem sal e uma colher de óleo MCT (triglicerídeos de cadeia média), o chamado “bulletproof coffee” (ou café à prova de balas) foi um boom instantâneo. Inventado por um empreendedor do Vale do Silício, ganhou rápida adesão por prometer uma série de benefícios, desde uma melhora no poder de concentração à maior sensação de saciedade e consequente perda de peso.

Café com óleo de coco é uma dessas receitas/Foto: reprodução

Aqui no Brasil, a mistura que mais faz sucesso é o café com óleo de coco, que, apesar de ser propagado como um “óleo bonzinho”, não deixa de ter ácidos graxos saturados que são inflamatórios. Quando consumido em excesso, pode contribuir para o ganho de gordura, aumentar o risco de inflamação e diabetes do tipo 2. Se você gosta do óleo de coco, tudo bem usar. Mas não em excesso, e não com objetivo de emagrecer –isso é pseudociência.

2. Água com limão pela manhã

A água hidrata, o limão pode até trazer nutrientes e alguma vitamina C, mas eliminar gordura? Não, isso não é comprovado. Então, se o objetivo é esse, não perca mais tempo. Além disso, essa combinação logo cedo pode fazer mal para pessoas que têm gastrite. Fique esperto!

3. Suplementos vitamínicos

Se a sua alimentação anda toda errada e você busca compensar isso com suplementos, está fazendo isso errado! Em primeiro lugar, não é recomendado iniciar o uso dessas pílulas sem a orientação de um profissional de saúde. Segundo, já está mais do que provado que a diversidade de nutrientes e compostos bioativos oferecidas em um alimento in natura é muito mais rica do que quando essas vitaminas são isoladas em suplementos.

Converse com seu profissional de saúde. Antes de receitar suplementação, ele muito provavelmente vai tentar rever sua alimentação. Existem algumas condições de saúde que realmente exigem o uso deste recurso, como pacientes pós-bariátrica, alguns problemas de carências, gestantes e idosos. Mas sempre com orientação e com um período definido pelo especialista. Definitivamente, não é todo mundo que precisa. O que todo mundo precisa é se alimentar com mais comida fresca e caseira, com variedade no prato!

4. Whey protein

O Whey é a proteína do soro do leite, então, não é algo que vai mudar a sua vida. Alguns estudos indicam que, em excesso, pode promover o ganho de peso, aumentar o risco de ter resistência à insulina e, para quem tem problemas renais, sobrecarregar os rins. Para criar massa muscular, nada melhor do que alimentação e atividade física.

Claro que, se existe alguma carência nutricional, ele pode ser recomendado. Mas sempre com orientação e não porque a vizinha ou um amigo tomou e se adaptou! Cada corpo é único e tem necessidades diferentes. Na hora de comprar, seja cuidadoso também com os ingredientes que vêm junto com ele. Muitas vezes, o produto tem mais açúcar do que o próprio Whey.

5. Termogênicos (chás, alimentos ou suplementos)

Pimenta, chá verde, gengibre, canela. Bem, esses são alguns dos alimentos proclamados como termogênicos. Existem também alguns chás e suplementos que são vendidos com uma promessa básica: acelerar o metabolismo. Mas existe pouca comprovação científica em torno deste tema. E no caso dos alimentos, a dificuldade é saber a quantidade necessária de cada um para alcançar a tal “benção”, sabendo que o excesso pode ser prejudicial a saúde.

Então, é o que eu sempre digo: variedade vale ouro! Se você conseguir manter uma alimentação diversificada, fazendo as refeições principais (café da manhã, almoço, café da tarde e jantar) com uma predominância maior de alimentos in natura e respeitando sua fome, seu metabolismo vai trabalhar a todo vapor. Pode ficar tranquilo!

Ainda não inventaram um esquema melhor para manter um peso saudáveldo que esse! E lembre-se: desconfie sempre de métodos milagrosos. Pergunte, investigue, converse bastante com seu nutricionista. Sua saúde agradece –e seu bolso também.

Outras Notícias

Veja Também