Especialistas trazem seis dicas para turbinar a imunidade e fortalecer a saúde


Conheça as principais recomendações para aumentar sua imunidade e ficar livre de inconvenientes

VIVA BEM - UOL

Nariz escorrendo, tosse, fadiga, dores no corpo, cabeça pesada… É normal encarar sintomas assim vez ou outra. O problema é quando a coisa se torna frequente, tipo todo mês. Aí, é sinal de que o organismo não está conseguindo se proteger como deveria de intrusos que causam doenças. Para reverter esse quadro, muitas vezes não é preciso uma intervenção médica ou grandes tratamentos, apenas alterações no estilo de vida. Conheça as principais recomendações para aumentar sua imunidade e ficar um tempo maior livre de inconvenientes.

1 – Durma o suficiente

Descansar entre seis e nove horas por noite é imprescindível para manter as defesas do corpo trabalhando a todo vapor. Um estudo realizado na Universidade da Califórnia (EUA) apontou que pessoas que vivem se privando de sono têm 4,5 vezes mais risco de ter um resfriado.

Uma das razões para isso é que dormir mal aumenta a liberação de cortisol, hormônio ligado ao estresse. A substância tem ação imunossupressora e interfere na produção de leucócitos –células de defesa do corpo. Passar pouco tempo entre os lençóis ainda pode comprometer a produção de corticoides que funcionam como anti-inflamatórios. Pessoas que descansam menos tempo rotineiramente correm mais risco de ter problemas cardiovasculares, derrame, diabetes e infecções graves?, diz Marcus Gaz, cardiologista e clínico geral do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

2 – Faça exercícios na medida

Nosso corpo entende a atividade física como uma “agressão”. Mas isso é bom, pois aí organismo trata de fortalecer suas defesas para suportar melhor as exigências impostas pelo treino. Se o exercício for regular – de quatro a cinco vezes por semana -, há melhora da imunidade e, consequentemente, um auxilio no tratamento e prevenção de doenças, explica Bruno Topis, clínico geral do Hospital Villa-Lobos, localizado na capital paulista. Só não exagere na malhação, pois isso impacta na capacidade de o corpo combater os intrusos que podem levar a problemas. Em treinos muito longos (principalmente com mais de uma hora e meia) ocorre um grande aumento no nível de cortisol, o que prejudica a imunidade.

3 – Tenha alimentação equilibrada

“Uma dieta rica em hortaliças, legumes e frutas garante o abastecimento de substâncias essenciais para o sistema que protege o organismo. Alguns nutrientes, como as vitaminas A, C, D, E e B6 são especialmente importantes nesse caso, pois melhoram a imunidade e ajudam na prevenção e tratamento de inflamações”, conta Jamal Azzam, otorrinolaringologista e clínico geral de São Paulo. O mesmo vale para o zinco, o selênio, o ferro, o ácido fólico e os probióticos, acrescenta. Evitar a falta ou o excesso de calorias também é importante. A subnutrição e a obesidade estão associadas à redução na produção de glóbulos brancos e anticorpos que são responsáveis pela nossa imunidade, afirma Topis.

4 – Combata o estresse

Como você viu, o excesso de hormônio do estresse prejudica o sistema imune e interfere em processos importantes para a manutenção da saúde. Logo, viver com os nervos à flor da pele faz com que você fique mais suscetível a gripes, resfriados e quadros mais graves, como doenças do coração, distúrbio do sono, problemas digestivos, depressão, queda de cabelos, entre outros. Portanto, inclua na sua rotina atividades que combatem o estresse, como praticar exercícios, ouvir música, meditar, ler um livro.

5 – Tome sol e também tenha cuidado com ele

Ficar cerca de 20 minutos exposto aos raios UV é indicado para elevar os níveis de vitamina D no organismo, o que é importante para aumentar a imunidade e prevenir doenças. Por outro lado, ficar muito tempo no sol sem a devida proteção pode provocar o problema oposto. Nesse caso acontece uma alteração das funções das células T, um grupo de glóbulos brancos que participam ativamente do combate aos micro-organismos, o que aumenta o risco da pessoa ficar doente, explica Azzam.

6 – Evite o tabagismo e a poluição

Existem diversas toxinas presentes no cigarro que, além de provocar doenças muito graves – o câncer de pulmão, por exemplo – afetam as células de defesa do corpo, prejudicando a sua ação. Por isso os fumantes são mais suscetíveis a problemas respiratórios graves, como bronquite, asma e pneumonia.

A poluição do ar também agride o organismo e prejudica a imunidade. Portanto, além de não fumar, evite fazer exercícios ao ar livre em avenidas movimentadas, especialmente nos horários de pico, e até mesmo a dirigir com os vidros do carro aberto.

Outras Notícias

Veja Também