Funcionário do Huerb afirma que “integrantes de facções entram a hora que querem no hospital”


Bandidos já teriam passado arma de fogo na cara dos servidores que ficam na portaria da unidade de saúde

REDAÇÃO CONTILNET

Os funcionários que ficam na portaria do Pronto Socorro, que também dá acesso aos leitos, estão aterrorizados com as ameaças que sofrem a cada vez que criminosos vão ao local visitar parentes ou mesmo comparsas, internados quase que diariamente na unidade de saúde.

Denúncia foi feita por um vigilante que diz já ter sido ameaçado por criminosos (Foto: Cedida)

“Eles já chegam gritando ‘Sai da frente!’ e passam a arma na cara da gente. Estou com problemas graves de pressão e precisando de um psicólogo, mas a direção do hospital não se preocupada com isso”, disse uma porteira que pediu para não ter a identidade revelada.

Os funcionários dizem que no local não existe um vigilante, ou mesmo um policial para fazer a segurança dos servidores e das centenas de pessoas que vão ao Huerb todos os dias.

“Estamos entregue à própria sorte. Quando vamos falar com alguém da direção, eles fazem pouco caso e nunca levam em consideração o perigo que todos nós estamos passamos todos os dias neste hospital”, diz outro servidor do Huerb.

O OUTRO LADO

Em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), eles informaram que a entrada de acompanhantes e visitantes não pode ser proibida, mas que haverá redução do número de pessoas por visita, bem como o registro dos visitantes e revista de bolsas e mochilas caso a vigilância suspeite de algo.

LEIA A RESPOSTA NA ÍNTEGRA:

Temos polícia militar e vigilantes porém não podemos proibir a entrada de acompanhantes e visitantes. Todo usuário do SUS deve ser tratado sem discriminação ou distinção, não podemos fazer muito além do que reforçar a segurança. Tanto é assim que algumas medidas foram tomadas e entrarão em vigor a partir de segunda feira para preservar os servidores e os pacientes.

1. Deixamos uma porta de emergência aberta com vigilância;

2. Deixamos a porta de entrada principal aberta com vigilância; 

3.Haverá redução do número de pessoas por visita bem como o registro dos visitantes e revista de bolsas e mochilas em caso da vigilância suspeitar de algo.

comentários

Outras Notícias

Veja Também