Rio Branco, Acre,


Ex-diretor da Acreprevidência diz que PT deixou um rombo de R$ 400 milhões

Em nota, Alércio falou sobre seus 100 dias à frente do órgão

O ex-diretor presidente do Acreprevidência, Alércio Dias usou as redes sociais neste fim de semana para fazer um balanço dos seus 101 dias à frente da instituição governamental. De acordo com o ex-gestor, no período em que esteve à frente do órgão, descobriu inúmeras irregularidades, dentre elas, aposentadorias atrasadas e um rombo aos cofres públicos do Estado.

“Numa estimativa, por alto, uma sangria em torno de 400 milhões de reais”, salientou Dias, afirmando que o número pode ser superior ao declarado.

Alércio Dias fez uma nota explicando seu trabalho/Foto: reprodução

“Atualizamos a concessão dos pedidos de aposentadorias e benefícios que estavam atrasados desde agosto/2018 e fixamos o prazo de 5 dias para esse atendimento, na gestão do Governo Gladson Cameli”, explicou.

Para dar agilidade no serviço, foi criada uma força tarefa no órgão, que ficou encarregada de analisar todos os processos. “Para nossa surpresa, descobrimos que por negligência ou irresponsabilidade dos dirigentes no passado, nomeados pelo petismo, ficaram dormitando um total de 7.357 processos (metade do número total de aposentados), sendo 2.135 em processo  de digitalização, mais 4.094 no TCE, mas 1.128 em análise no INSS ) cujas aposentadorias vem sendo pagas mês a mês pelo Estado”, declarou.

VEJA A NOTA NA ÍNTEGRA:

–Leiam! É longo, mas importante
Mesmo  tendo pedido exoneração do Governo
há duas semanas, sinto-me no dever de prestar contas do que conseguimos fazer nos 101 dias que dirigimos o AcrePrevidência:
–  Atualizamos a concessão dos pedidos de aposentadorias
e benefícios que estavam atrasados desde agosto/2018
e fixamos o prazo de 5 dias para esse atendimento, na gestão do Governo  Gladson Cameli
–  Criamos um grupo  – força tarefa – para analisar cada processo de aposentaria  anteriormente concedida, a fim de buscarmos junto ao INSS a parte que nos é devida  através do sistema da compensação previdenciária (quando o Aceprev concede aposentadoria a um servidor, para  efeito da contagem de tempo, é incluído o período que contribuiu para o INSS, cujo crédito temos que compensar).

No entanto, só fazemos jus ao crédito após a homologação de cada aposentadoria pelo TCE e a solicitação ao INSS.
Para nossa surpresa, descobrimos que  por negligência ou
Irresponsabilidade dos dirigentes no passado, nomeados
pelo petismo, ficaram  dormitando um total de  7.357 processos (metade do número total de aposentados), sendo 2.135 em processo de digitalização mais 4.094 no TCE mas 1.128 em análise no INSS ) cujas aposentadorias vem sendo  pagas mês a mês pelo Estado, sem que tenhamos nos habilitado junto ao INSS para ressarcimento do que nos é devido. Numa estimativa, por alto, uma sangria em torno de 400 milhões de reais.
Naquela minha estada em Brasília que postei aqui, descobri
com a ajuda da minha filha Regina (que hoje preside uma
Previdência Complementar), num encontro com o Presidente do IPREV-DF e com o apoio irrestrito do  Senador Petecão diligenciamos alternativas para recebermos de imediato, ao menos uma parte do valor que está  sendo levantado, tendo também o Senador constatado com a direção do INSS no sentido de disponibilizar pessoal para esse fim (só existe um
único servidor na compensação aqui no Acre).
Também estivemos em demorada audiência com o Presidente do TCE Dr. Cristóvão e acordamos em contratar
três técnicos em TI e cedermos para o TCE para agilizar
os procedimentos de homologação dos processos.
Agora, a mais aterradora  descoberta: nos meses
de Setembro, Outubro, Novembro  Dezembro de 2018
(plena campanha e amargor da derrota), segundo  relatório da Previdência Social, o Acreprevidência enviou  ZERO processos para o INSS. É possível imaginar que esse pessoal  abandonou suas atividades e foi para
as  ruas balançar as bandeiras  do petismo.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias