27 C
Rio Branco
9 maio, 2021 3:29 pm

Ex é presa suspeita de matar empresário com tiro na nuca, em Manaus

POR G1 AM

Uma mulher de 24 anos foi presa, nesta segunda-feira (8), suspeita de matar um empresário com um tiro na nuca, em Manaus. Segundo a polícia, o casal havia terminado o namoro recentemente.

A vítima, Paulo Roberto Moraes Teixeira Júnior, de 29 anos, foi baleada na sexta-feira (5). A ex-companheira foi presa após se apresentar na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), nesta segunda, três dias após o crime.

A irmã do empresário, Roberta Teixeira, contou ao G1 que ele era dono de uma empresa de instalação de internet. Ele conheceu a mulher na empresa e, então, eles começaram a namorar.

“Ele empregou ela na empresa dele. Nesse meio tempo, eles se envolveram. Eles tiveram um relacionamento de um ano e meio. Pelo que víamos, ela só estava com ele por interesse. Gostava de ostentar, mas nunca postava nada sobre ele. Parece que ele descobriu algo muito sério sobre ela e terminaram”, contou.

Segundo a irmã do empresário, a ex-companheira foi até a casa da vítima, na tarde de sexta, e disse que queria conversar com ele. Horas depois, a família foi informada de que ele havia sido baleado.

“Ela tinha acesso ainda. Antes dela chegar, ela desligou as câmeras da casa. Ela premeditou tudo. Quando ela deu o tiro, ela saiu andando e ligou para a mãe dela para contar. A mãe dela contou para o meu irmão e os dois foram até lá. O meu irmão chegou e viu ele agonizando na cozinha”, relatou.

A DEHS informou que Paulo Roberto foi socorrido para o Serviço de Pronto-Atendimento (SPA) do Galileia. Pela gravidade do ferimento, ele foi transferido para o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, onde não resistiu e faleceu na madrugada de domingo (7).

Ainda segundo a irmã da vítima, a suspeita do crime fugiu e não foi mais vista. Após a morte, a DEHS solicitou um mandado de prisão em nome dela. Por volta de 17h desta segunda-feira (8), ela se apresentou na delegacia acompanhada de advogados.

A polícia informou que, no momento em que ela prestava depoimento na delegacia, o mandado de prisão em nome dela foi expedido e ela foi presa. Não há informações sobre o que ela disse durante o depoimento.

Familiares do empresário passaram o dia na delegacia e presenciaram o momento em que a suspeita se entregou. A família suspeita que o crime tenha acontecido por interesse financeiro da suspeita. Eles estavam com cartazes e pediram por justiça pela morte de Paulo Roberto.