27.3 C
Rio Branco
18 maio, 2021 11:40 am

Presidente do PSDB diz que tratamento dado a Marcio Bittar é preconceito contra o Acre

Senador teve relatório do Orçamento da União duramente criticado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes

POR POR LEANDRO CHAVES, DO CONTILNET

O presidente estadual do PSDB, Manoel Pedro Gomes, o Correinha, chamou de preconceito contra o Acre o tratamento dado ao senador Marcio Bittar (MDB) por membros do alto escalão do governo Bolsonaro após divergências sobre o Orçamento da União relatado pelo parlamentar.

Na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, um dos nomes mais importantes do governo, proferiu duras críticas ao trabalho do senador. Ele comparou a negociação do Orçamento a uma “nave pilotada por macacos” e chamou o relatório de “troço”.

“Você está aterrissando a nave em Marte. Aí chega um macaco lá, aperta três botões, chuta o painel e começa a desviar a nave”, afirmou Guedes. O principal ponto de tensão entre o senador e o ministro diz respeito aos quase R$ 30 bilhões em emendas parlamentares previstos no relatório. Bittar alega que o Ministério da Economia sabia do valor e chamou de desleal as críticas feitas pela pasta.

O dirigente tucano no Acre, Correinha, considerou os “ataques” desrespeitosos e, em nota, manifestou solidariedade ao senador emedebista. “Independente de cores partidárias, reiteramos o nosso respeito à pessoa do senador, enquanto representante do nosso estado do Acre”. Leia a íntegra da nota ao final da matéria.

Ao ContilNet, Correinha diz ter visto preconceito contra os acreanos e afirmou que Bittar não é mais e nem menos capaz que um senador de São Paulo, por exemplo, para tocar o relatório do Orçamento.

“Ele trabalhou com uma equipe grande para elaborar esse documento. Não tirou tudo da cabeça dele. Tenho profundas discordâncias com o Bittar e com o governo que ele sempre apoiou, mas o que está em jogo aqui é a defesa de um senador da República que representa o Acre e que foi respaldado pela população”.

O tucano disse ainda que defenderia qualquer outro senador na mesma situação. “Nós, que lutamos para fazer parte do Brasil, não podemos permitir esse tipo de tratamento com nossos representantes. Não é porque ele é acreano que é incapaz. Temos que proteger o Acre”.

O Orçamento da União de 2021 virou motivo de crise em Brasília. O texto deveria ter sido aprovado em dezembro do ano passado e segue sem definição até agora. Isso porque a proposta liderada por Bittar é tida como inexequível pelo Ministério da Economia. O senador, um dos maiores aliados de Bolsonaro na capital federal, alega que nada foi decidido sem o aval do governo.

Leia a nota de Correinha:

NOTA DE SOLIDARIEDADE

A Executiva Estadual do PSDB/AC vem a público se manifestar em solidariedade ao Sr. Márcio Bittar, Senador da República pelo Acre, que vem sofrendo desrespeitosos e sucessivos ataques, em razão de sua função como relator geral do orçamento da União.

O senador Márcio Bittar, não diferente dos demais, possui a legitimidade do voto popular e representa a população do nosso estado no Senado Federal.

É lamentável que divergências políticas levem representantes públicos a proferirem discursos em total desrespeito a um parlamentar que tem contribuído com o Brasil e defendido de maneira republicana as pautas em que acredita, sejam estas convergentes às nossas ou não.

Independente de cores partidárias, reiteramos o nosso respeito à pessoa do senador, enquanto representante do nosso estado do Acre, e repudiamos qualquer ataque vituperioso que fira sua honra e integridade.

Nosso sincero respeito a Márcio Bittar!

Rio Branco, 11 de abril de 2021.

MANOEL PEDRO DE SOUZA GOMES

Presidente do PSDB/AC”