30.3 C
Rio Branco
17 junho, 2021 6:34 pm

Estado define últimos trâmites para implantação de três Casas da Mulher Brasileira

POR SECOM

A primeira-dama do Acre, Ana Paula Cameli, e senadora, Mailza Gomes, se reuniram com representantes das Secretarias de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), e de Desenvolvimento Urbano e Regional (Sedur), para tratar sobre a implantação de três Casas da Mulher da Brasileira no Acre.

A reunião, realizada nesta terça-feira, 11, teve por finalidade discutir sobre os terrenos que receberão as casas, as plantas baixas dos prédios e a tipologia recomendada pelo Ministério da Mulher, Família  e Direitos Humanos (MMFDH). “Essas casas serão fundamental para as mulheres que sofrem algum tipo de violência, a implantação auxiliará no combate e enfrentamento à violência doméstica e familiar”, destacou a primeira-dama, Ana Paula Cameli.

O titular da Sedur, Luiz Felipe Werklaenhg, apresentou as necessidades técnicas que precisam ser supridas para dar continuidade ao projeto e as especificidades de cada terreno que receberá a construção dos prédios.

O Acre terá, até 2022, três unidades da Casa da Mulher Brasileira e um Núcleo Integrado de Atendimento à Mulher (Nuiam), fruto da emenda parlamentar, destinada pelo gabinete da senadora Mailza Gomes, de mais de R$ 4 milhões, que será implementada nos municípios de Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Epitaciolândia. 

“Para mim é uma alegria poder contribuir para essa ação tão importante. O governo do Acre entendeu a necessidade da implantação dessas casas para o combate à violência contra a mulher”, pontuou a senadora Mailza Gomes.

As ações articuladas serão integradas às áreas de segurança pública, assistência social, saúde, educação, trabalho e habitação. A expectativa é de que a iniciativa encoraje as mulheres a denunciar mais.

Participaram da reunião: a diretora técnica da Sedur, Gleilce Araújo, a chefe de departamento de Arquitetura, Soad Farias, o diretor de gestão da SEASDHM, André Crespo, e a diretora de Políticas para as Mulheres, Isnailda Gondim.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.