30.3 C
Rio Branco
17 junho, 2021 12:50 pm

‘Já passou o tempo da quebra da legalidade’, diz Barroso sobre eleições no Brasil e urnas eletrônicas

Presidente do TSE reafirma segurança das urnas e diz que processo eleitoral de 2022 vai proclamar ‘quem venceu’ e que o ‘resto é espuma e fumaça’

POR O GLOBO

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, tem encarado a missão de dissipar as desconfianças em relação às urnas eletrônicas, suscitadas, inclusive, por Jair Bolsonaro. O presidente da República tem lançado dúvidas sobre os resultados do processo eleitoral de 2022 caso não haja voto impresso e com possibilidade de auditoria — os equipamentos usados já permitem essa hipótese.

No Congresso, o tema vem sendo discutido na tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que obriga a impressão de votos em eleições, plebiscitos e referendos. Diante desses questionamentos, Barroso, também ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), reafirma que o sistema eleitoral brasileiro é auditável do primeiro ao último passo.

—Já passou o tempo de golpes, quarteladas, quebras da legalidade constitucional. Ganhou, leva. Perdeu, vai embora. (Donald) Trump, nos Estados Unidos, esperneou muito, mas está na Flórida, não em Washington — afirmou ao GLOBO. — A democracia tem lugar para liberais, progressistas e conservadores. Nela só não cabem a intolerância, a violência e a não aceitação dos resultados legítimos das urnas.

Leia mais em O Globo, clicando AQUI.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.