21.3 C
Rio Branco
10 junho, 2021 3:46 am

Taxa de ocupação do Into para de cair e diretor alerta: “Sabemos onde isso vai dar”

Médico Osvaldo Leal afirma que pandemia pode estar começando a dar sinais de repique no Acre

POR LEANDRO CHAVES, DO CONTILNET

O diretor do Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), Osvaldo Leal, alertou para um possível repique da pandemia de Covid-19 no Acre, a exemplo do que acontece em vários outros estados brasileiros.

Segundo ele, a demanda por atendimentos no hospital referência para o tratamento da doença não só parou de cair, como sofreu um incremento nos últimos dias. Entre 17 e 24 de maio, a média de consultas diárias foi de cerca de 130. Nas semanas anteriores, esse número era de 90.

Embora seja muito inferior à média de 300 atendimentos por dia registrada no pico da segunda onda, os atuais índices, na opinião do médico, refletem um aumento preocupante. “A pandemia parece estar mostrando um repique. Já vivenciamos esse cenário por duas vezes e sabemos onde isso vai parar”, alertou Leal.

A taxa de ocupação na unidade de saúde também parou de cair e agora experimenta sinais de crescimento. Osvaldo acredita que esse cenário é reflexo do relaxamento dos acreanos nos últimos 15 dias, após todo o estado sair da bandeira vermelha e passar direto para a amarela, com medidas bem menos restritivas.

Nesta quarta-feira (26), o governo, por meio da Secretaria de Saúde (Sesacre) e o Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19, da qual Leal faz parte, manteve todo o Acre na faixa de amarela por pelo menos mais duas semanas.

O médico pediu que a população não descuide das medidas que comprovadamente evitam a proliferação do vírus, como o uso de máscara e álcool em gel, além de evitar grandes aglomerações. “Se esse relaxamento continuar acontecendo nós vamos nos aproximar mais de uma bandeira restritiva na próxima avaliação”, finalizou.